O clicRBS ainda existe e em Santa Catarina agora tem novo nome

Padrão

O Portal Making Of publicou nota nesta quarta-feira (6) informando que o logo do portal clicRBS mudou na versão para Santa Catarina por causa da venda dos veículos da RBS em Santa Catarina para o grupo que desde o dia 15 de agosto é oficialmente chamado de NSC Comunicação. A mudança no logo é lógica: saiu o RBS e ficou só o “clic”.

A surpresa maior talvez seja a própria menção ao portal. Por n motivos, o clicRBS foi sendo enxugado e perdendo sua razão de existir por causa dos movimentos principalmente dos jornais do grupo RBS (Zero Hora e Diário Catarinense). Era uma estrutura independente, ao mesmo em que era guarda-chuva digital dos demais veículos. Por isso, a expectativa é que, a partir desta mudança visual, o portal renasça, volta a ser referência.

Trabalhei como capista do clicRBS de Santa Catarina em 2008, uma passagem de 11 meses (saí para ser o gestor de conteúdo de um projeto chamado BipMe.tv, um serviço de alerta sobre programação de TV). Mas guardo ótimas recordações. E aprendi muito com os colegas com quem trabalhei e curti madrugadas e plantões (eu era o capista da noite).

A função era divertida, apesar do publicador ser um pouquinho lento e confuso. Mas havia também a relação com os colegas de Porto Alegre. O “clic de Santa” era praticamente uma sucursal e dependia de “Porto, nééé” em questões como internet, suporte de TI e conteúdo multimídia. Na época era preciso fazer um pedido pelo sistema de gestão – o Vinas – para que o pessoal de Porto Alegre gravasse e editasse vídeos, como os gols da rodada. Nada muito grave, mas nem sempre era uma rotina ágil. Obviamente na maioria das vezes entravámos na fila porque eles tinham outras prioridades…

“Grêmio é líder”

Dos muitos episódios que vivi no meu tempo de clicRBS, lembrei de um hoje depois de ler sobre a mudança em Santa Catarina com a chegada da  NSC. Estava num plantão de domingo e acompanhando a rodada dos times de Santa Catarina no Brasileirão.

A capa do portal na época tinha uma área no alto que era local, cada estado fazia a sua, e uma área comum no meio para baixo. Deixei na chamadas de esportes os links para a cobertura minuto a minuto dos jogos. Conforme os jogos iam terminando e os bravos colegas do esporte publicando as resenhas, fazia a troca das chamadas e dos links.

Chegou um momento, já perto das 19h, que só havia um jogo do campeonato em andamento. Era um jogo do Grêmio. Deixei a chamada do tempo real destacando que ainda estava rolando o jogo do Grêmio e só iria mexer nessa chamada perto de encerrar o plantão – que seria uns 15min após o fim da partida.

Fui cuidar das outras áreas da capa local de Santa Catarina. E quando terminou o jogo do Grêmio, deixei o link do tempo real por mais alguns minutos e com chamada informando o resultado. Na sequência, entrou uma nova reportagem sobre o Criciúma ou o Joinville, não lembro ao certo. Mas troquei a chamada para que a CAPA DE SANTA CATARINA ficasse com chamadas dos QUATRO TIMES DE SANTA CATARINA.

A capa ficou redondinha. Quatro espaços para chamadas, quatro chamadas com toques de classe e simetria. Quando estava quase desligando o computador, toca o telefone. Era a editora de esportes do clicRBS de Porto Alegre e queria falar com o “capista de Santa”. Atendi e do outro lado ouvi a seguinte instrução (ou seria ordem?):

– Tem que botar a chamada do Grêmio aí na capa de Santa porque o Grêmio ganhou e é líder do Brasileirão. Tem que dormir essa manchete na capa de vocês.

Ouvi e argumentei. Disse que já tinha deixado a informação sobra vitória e a liderança do Grêmio, mas que para dormir (ou deixar as manchetes na capa para o dia seguinte) precisava colocar as chamadas dos nossos quatro times. Reforcei que aqui temos quatro e não dois times. E que na área em comum não entrava nada dos times de Santa Catarina.

Ela não se convenceu. Talvez porque fosse gremista… Ou porque eram ordens,aquela que são passadas como sendo inflexíveis. Só sei que no fim das contas, cansado pelo fim do plantão dominical, ouvi, argumentei, ouvi mais um pouco, “a colônia gaúcha”, e a conversa terminou.

O que eu fiz?

Deixei as quatros chamadas dos times de Santa Catarina. Mais coerente que teimoso! E antes de encerrar o expediente, enviei e-mail para minha gestora e no dia seguinte, tudo certo. “Fizesse bem”.  E só para “intizicar”, no dia seguinte recortei uma foto que estava na coluna Visor do DC que mostrava o Miramar, um ponto histórico de Florianópolis, já demolido, para fixar a ideia de que local é local.

🙂

clic SC: www.clic.com.br

clicRBS: www.clicrbs.com.br/rs

Você tem alguma informação ou comentário para acrescentar a este conteúdo?