O clicRBS ainda existe e em Santa Catarina agora tem novo nome

Padrão

O Portal Making Of publicou nota nesta quarta-feira (6) informando que o logo do portal clicRBS mudou na versão para Santa Catarina por causa da venda dos veículos da RBS em Santa Catarina para o grupo que desde o dia 15 de agosto é oficialmente chamado de NSC Comunicação. A mudança no logo é lógica: saiu o RBS e ficou só o “clic”.

A surpresa maior talvez seja a própria menção ao portal. Por n motivos, o clicRBS foi sendo enxugado e perdendo sua razão de existir por causa dos movimentos principalmente dos jornais do grupo RBS (Zero Hora e Diário Catarinense). Era uma estrutura independente, ao mesmo em que era guarda-chuva digital dos demais veículos. Por isso, a expectativa é que, a partir desta mudança visual, o portal renasça, volta a ser referência.

Continue lendo

A “gripe” da falta de verificação

Padrão

Em menos de um mês, Cacau Menezes, o principal colunista do Diário Catarinense e da RBS TV, publicou como verdadeiras uma lenda urbana sobre “uma carona que poderia acabar na cova” e um boato na linha “divulguem, por gentileza” sobre a gripe H1N1.

No primeiro caso, desmentido pela PM de Santa Catarina, traz para Florianópolis uma história de um grupo de amigas que saíram de uma balada de carona com um rapaz. No meio do caminho, o motorista parou o carro e desceu com a desculpa de que iria mijar, quando na verdade (sic) iria cavar a cova para elas. Está lá no site do Diário Catarinense, continua publicado mesmo desmentido da PM. E Cacau ainda quis sair por cima na correção da babada.

Nesta segunda, dia 4, o colunista, que no impresso ocupa duas páginas (a penúltima e a antepenúltima), postou a mensagem de um tal dr. Vinay Goyal, urgentista reconhecido mundialmente, diretor de um departamento de medicina nuclear, tiroídica e cardíaca, “a fim de contribuir para minimizar o número de casos da Gripe A, causada pelo vírus H1N1”. O texto é típico das correntes de internet e o site Boatos já havia desmascarado a farsa no final de março. Leia aqui.

Estes dois casos mostram o colunista como vítima, por causa seu próprio descuido, da avalanche de boatos que circulam de tempos em tempos, mas com maior velocidade e alcance com a chegada do WhatsApp. Mas ainda assim parece haver um erro, um descuido da direção do DC.

Cacau poderia ter postado essas duas bobagens, mas como exemplos de “informações” que estão sendo repassadas, mas que não são verdadeiras. Deem uma cópia do Manual de Verificação para ele! Prestaria um grande serviço até por ter uma longa história na mídia (está na RBS há mais de 30 anos) e público cativo que, não duvido, deve ter “comprado” as duas histórias na base do “é verdade, li no Cacau”.

Se ele não tem por hábito de confirmar aquilo que publica, que seja alertado de vez para ter mais cuidado. E pela reincidência, precisa de filtro. E aí cabe a um editor ficar responsável e muito atento até para preservar a imagem do veículo. Veja lá nos links os comentários do público.

O jornalista Cesar Valente levantou este tema no Facebook com um comentário pertinente sobre o caso do boato do dr. Vinay Goyal (que nome; será um anagrama?). Leia o que escreveu o Cesar:

O DC enlouqueceu? A RBS foi embora e tudo ficou ao Deus dará? Liberaram o Cacau para publicar, sem advertir os leitores, as correntes mais idiotas (embora sobre assuntos sérios) da internet? 

Não tem mais editor, não tem mais ninguém com a cabeça no lugar para dizer ao Cacau que não se deve publicar correntes fajutas (e antigas) de internet?

Será que nem um “sistema imunitário” no texto fez soar algum alarme em quem quer que tenha responsabilidade sobre o que o DC publica? E o que é aquela patacoada de “divulguem, por gentileza”? Saudades do orkut?

E pegando carona numa expressão que já vi o Cesar usar bastante na sua antiga coluna/blog De Olho na Capital, falta em muitos veículos um editor de VDM ou editor de Vai Dar Merda. Currículos para…

O DC acertou

Padrão

O Diário Catarinense, de Florianópolis, adotou uma atitude correta diante de uma prática comum – infelizmente – entre os usuários do Facebook: o compartilhamento de notícias antigas sem qualquer contextualização com um fato recente ou aviso sobre data original de publicação. A notícia velha compartilhada é de 2014, publicada pelo DC no dia 4 de janeiro, e trata da questão da balneabilidade das praias de Santa Catarina. O assunto esteve (e ainda está) nas manchetes neste começo de 2016 por causa de novos problemas relacionados com poluição em praias em Florianópolis. E isso acabou sendo o gatilho para o compartilhamento da notícia de 2014.

Diante disso, o DC tomou o cuidado de incluir um comunicado na notícia velha que está sendo compartilhada, antes do início do texto.

COMUNICADO: O Diário Catarinense esclarece que esta matéria foi publicada em 4 de janeiro de 2014 e não se refere, portanto, aos dias 9 e 10 de janeiro de 2016. A Fatma esclarece que não há qualquer orientação neste sentido para a temporada de 2016.

E em sua página no Facebook, o DC compartilhou uma nota de esclarecimento.

ATENÇÃO!

O DC esclarece que a matéria “Fatma recomenda banhistas a evitarem as praias catarinenses no final de semana…

Publicado por Diário Catarinense em Quinta, 7 de janeiro de 2016

Decisões como esta precisam ser cada vez mais comuns. Para isso, os editores não podem deixar de acompanhar o que está sendo compartilhado do veículo nas redes sociais e principalmente o que está sendo mais acessado, de acordo com o contador de audiência do site/portal/blog. E vale a pena, mesmo que alguns comentaristas continuem defendendo o compartilhamento da notícia velha…

Em alguns casos, até como prevenir qualquer chance de confusão, é importante colocar uma referência de data já no título. Divulgação de listas de aprovados em vestibular, por exemplo. O “Confira a lista de aprovados no vestibular da UFSC” é um título-campeão, bom de busca, mas sem a data pode levar o vestibulando para uma página com o listão antigo. O ideal seria “Confira a lista de aprovados no vestibular 2016 da UFSC”.

Em tempo: a Fatma mantém um mapa online atualizado da balneabilidade das praias de Santa Catarina onde é possível acompanhar os pontos próprios e impróprios para o banho. Acesse.

Aquele fim de semana premiado

Padrão

No dia 26 de junho, o Primeiro Digital destacava que os dois principais jornais de Santa Catarina, o Diário Catarinense e o Notícias do Dia, apresentaram especiais multimídia naquele fim de semana. O DC com “As Quatro Estações de Iracema e Dirceu” e o ND com “Nossas Baías”. E os dois especiais acabaram sendo premiados. Primeiro, o do DC, que levou o primeiro lugar na categoria internet do Prêmio Vladimir Herzog. E agora, o ND, que nesta semana venceu o Prêmio Fatma de Jornalismo, prêmio concedido pela fundação do meio ambiente de Santa Catarrina aos melhores trabalhos jornalísticos na área.

Veja o post sobre os especiais.

nossas_baias

Saiba mais sobre a conquista do ND

Diário Catarinense lança novo programa para ler o jornal online e edição digital de domingo

Link

Notícia publicada na edição desta quarta-feira do Diário Catarinense, jornal do Grupo RBS:

Na sequência do projeto de seu 30º aniversário, o Diário Catarinense lança duas novidades a partir desta quarta, dia 2: um novo programa para o público ler o jornal nos meios digitais, e uma edição online aos domingos. A plataforma DC Jornal Digital possibilitará mais interatividade do formato impresso com os produtos virtuais, como vídeos, galerias de foto, áudio, infografias animadas e links complementares.

— O novo Jornal Digital do DC terá dois grandes benefícios. O primeiro é proporcionar a experiência de ler o jornal, organizado pela curadoria de conteúdo do DC, com todas as interatividades bacanas que o mundo digital proporciona: vídeos, galerias de fotos, podcasts… O segundo é ajudar aquele leitor mais tradicional a entrar no mundo digital — explica o diretor-geral de Jornais e Mídias Digitais SC do Grupo RBS, Gabriel Casara.

(…)

Com o novo formato para se ler o jornal, o Diário Catarinense também lança no próximo domingo, dia 6, uma nova edição. Chamada de DC Domingo Digital, será publicada exclusivamente no novo aplicativo, disponibilizada no domingo com as atualizações do sábado e o que é possível acompanhar ao longo de daquele dia, com ainda mais interatividade.

Leia a notícia completa no site do DC.

Sobre o Diário Catarinense leia também no Primeiro Digital:

Diário Catarinense estreia novo site

“Acreditamos que estaremos entregando um produto consistente e inovador”, diz gerente digital do DC