terça-feira, maio 28, 2024
Home Blog

ChatGPT: De ladrão a gerador de empregos

Contrata-se profissional com experiência e domínio no uso do ChatGPT.

Ainda não vi, mas acredito que logo, logo anúncios como esse fictício acima serão cada vez mais comuns. Ou seja, em vez de roubar, o ChatGPT pode gerar empregos.

Como?

A habilidade de utilizar o ChatGPT será um requisito para a contratação de novos colaboradores. Sim, você leu certo. E não falo na função de “engenheiro de prompt”. Falo do uso do ChatGPT como critério de seleção do mesmo modo que pedem “domínio do Pacote Windows”.

Em um mundo onde a tecnologia e a Inteligência Artificial estão cada vez mais entrelaçadas com as rotinas diárias, faz sentido que o domínio de ferramentas como o ChatGPT tende a se tornar um diferencial no mercado de trabalho.

  • Primeiramente, porque é capaz de auxiliar profissionais em diversas tarefas, desde a redação de textos até a planejamento e desenvolvimento de projetos, sendo uma poderosa ferramenta de produtividade.
  • Além disso, se interessar e saber interagir com o ChatGPT demonstra uma mentalidade voltada para a inovação, perfil atrativo entre empresas que buscam profissionais alinhados com as últimas tendências e capazes de trazer novas perspectivas e soluções.

Por fim, se você está em busca de uma nova oportunidade ou simplesmente deseja se destacar em sua área, recomendo fortemente que invista algum tempo explorando e dominando a ferramenta da OpenAI.

Texto originalmente publicado na minha newsletter agenteGPT [link]

Coworking Floripa: o primeiro guia de endereços e informações sobre coworking de Florianópolis

O guia Coworking.Floripa é meu mais novo projeto e é uma iniciativa independente que visa centralizar em um único endereço digital as informações sobre os coworking que funcionam em Floripa e na Grande Florianópolis.

A ideia surgiu a partir da observação do mercado com aumento na oferta de espaços compartilhados de trabalho na região e no número de empresa e profissionais, como o meu caso, que procuram os coworkings tanto para tarefas do dia a dia quanto para encontros presenciais com equipes e parceiros.

Por que criar um guia com a lista dos coworkings de Floripa?

O guia tem também três outras motivações.

Trabalhando no coworking do Continente Shopping – Foto: Simoni da Rosa

A primeira é que desde 2016 acompanho e escrevo sobre coworking, trabalho remoto, trabalho híbrido, novas rotinas e tendências (Nômade Digital, Anywhere Office, Remote First…) para clientes da agenteinforma, minha agência de produção e gestão de conteúdo.

E a segunda é que o coworking tornou-se parte importante nas estratégias das empresas após as mudanças decorrentes da pandemia. O home office passou a ser adotado, mas para reuniões ou para viabilizar uma melhor infraestrutura para seus colaboradores, as empresas viram no coworking uma posto avançado para suas operações.

Por fim, o guia é fruto também da minha própria experiência como usuário dos espaços compartilhados, que uso em diferentes circunstâncias, mas sempre em busca de inspiração, foco e concentração (leia Por que fui trabalhar em um coworking?).  Por isso também este guia incluirá um blog conteúdos para tirar o melhor proveito dos coworkings.

Sobre o guia dos coworkings de Floripa

A lista é organizada por bairros e foi construída a partir de informações dos sites de cada coworking, tendo como referência o Núcleo Setorial Coworking da ACIF (Associação Comercial e Industrial de Florianópolis) e do site Coworking Brasil.

Além disso, o guia conta com um blog dedicado a informações tanto para usuários quanto para os próprios gestores de coworking.

Que o guia coworking.floripa seja útil para os estabelecimentos e para os usuários.

Acesse: coworking.floripa.br

 

Eleições 2022: CuraFato quer dar visibilidade ao combate às fake news

Não é de hoje que acredito na curadoria de conteúdo como uma uma iniciativa relevante diante da gigantesca produção de conteúdo em tantas e tantas plataformas.

Canais no YouTube e até o Space do Twitter: a cobertura do BBB fora da casa (e da Globo)

Alguns amigos no Twitter e no Instagram provavelmente não irão ler esse texto porque silenciaram a exibição de qualquer postagem com menções ao Big Brother Brasil, BBB, BBB222 e suas variações com e sem #. Ou não se interessam pelo programa da TV Globo ou estão com pilhas de livros para colocar a leitura em dia… 😉

Entendo, mas lamento porque, principalmente de 2020 para cá, quando o programa voltou a despertar interesse do grande público (pela carência provocada pela pandemia; naquele ano era a única atração de entretenimento inédita no ar), o BBB ajudou a aumentar e consolidar um “universo paralelo” à Globo, capaz de atrair milhares de seguidores para suas plataformas.

Uma conversa sobre migrar para o digital em tempos analógicos

Ao lado do meu amigo Rogério Mosimann, da agência Infomídia, participei do segundo episódio do podcast eXanalógicos, em que conversamos sobre nossas experiências no universo do jornalismo e do marketing digital desde o final dos anos 90.

Infográfico atualizado mostra o que acontece na internet a cada minuto

O Domo divulgou a edição 2021 do infográfico Data Never Sleeps que mostra o que acontece na internet a cada minuto e revela o impacto das ferramentas digitais na vida das pessoas por causa da pandemia.

O uso do WhatsApp no jornalismo hiperlocal: o exemplo de O Município

O jornal O Munícipio, de Brusque (SC) e com edições locais em Blumenau e Joinville, destaque no jornalismo hiperlocal e digital de Santa Catarina, tem usado ostensivamente o WhatsApp como canal de distribuição de conteúdo. Somando as edições para cada cidade, são 294 grupos e totalizando quase 55 mil usuários inscritos.

Mais rifa da fazendinha, menos editoria #VergonhaSC

O noticiário não tem sido muito animador nos últimos anos para os brasileiros de um modo geral. Mas tem sido especialmente triste para boa parte dos catarinenses, entre os quais em incluo como florianopolitano. Não é fácil acompanhar as redes sociais…

Carta do editor

Li hoje um texto que o jornalista Cesar Valente, meu professor na UFSC e meu primeiro chefe, publicou sobre o “caso” dele com O Estado, já extinto, mas que foi durante muitos anos o principal jornal de Santa Catarina.

Uma conversa sobre marketing de conteúdo: estratégias, boas práticas e tendências

Depois da conversa sobre SEO com os colegas da ACI, nesta terça-feira (20) participei como mediador de uma conversa sobre marketing de conteúdo. Promovido pela Vocali, agência aqui de Florianópolis da qual sou colaborador, o webinar Marketing de Conteúdo: Boas práticas e Tendências contou com a participação da jornalista Rachel Sardinha, diretora da Vocali, e do jornalista Bruno Volpato, editor do portal Resultados Digitais da RD Station.

SEO para jornalistas: Escrever para o Google e atender as expectativas do público

SEO para jornalista. Esse foi o tema da minha participação no #PapodeJornalista, projeto da Associação Catarinense de Imprensa, nesta quinta-feira (10).

Sites independentes: o propósito como âncora no modelo de negócio

Já escrevi aqui no Primeiro Digital que mais do que uma linha editorial, o site Rifferama tem um propósito – dar cobertura e espalhar a música que é produzida em Santa Catarina – e essa é a proposta de valor do projeto iniciado em 2013 pelo jornalista Daniel Silva.

Nos últimos dias, isso se confirmou com três boas notícias:

Mais do que (re)descobertas, uma reconexão com a música na pandemia

Pouco antes da pandemia do coronavírus ser declarada, comprei uma vitrola. Já tinha desencanado dos meus LPs. Não eram muitos, mas alguns eu vendi e outros eu doei. Mas a compra da vitrola não foi por nostalgia nem para (re)descobrir minha modesta coleção. Foi uma maneira de me reconectar com a música. Ou melhor, tirar da música a função principal que ganhou de mim nos últimos anos de trabalho em casa: ser minha companheira de trabalho.

E que companheira!

Estimada no podcast Toque de Mídia: uma conversa sobre localismo, identidade cultural e tecnologia

Já está disponível nas plataformas de streaming o novo episódio do podcast Toque de Mídia e que tem como tema a Estimada, o Bot Cultural de Floripa, lançado oficialmente no mês de março e que reúne informações e curiosidades sobre a cultura e a história de Florianópolis.

Por dentro da rotina do podcast Café da Manhã da Folha

A jornalista Magê Flores (foto), editora de podcasts da Folha de S.Paulo e apresentadora do Café da Manhã, um dos mais ouvidos do Brasil, foi a convidada da edição 35ª do webinar “Dicas  para um podcast de sucesso”, lançado no último dia 31 de março. A iniciativa é da iJNET (Rede Internacional de Jornalistas) e faz parte das ações do Fórum de Reportagem sobre a Crise Global de Saúde – Covid-19 do Centro Internacional para Jornalistas (ICFJ). 

Capas que GRITAM!

“Já fui professor de edição de jornalismo impresso. Capas de jornal sempre fascinam por precisar de criatividade, apelo, compromisso com a informação e, sobretudo, poder de síntese. Hoje, o Correio Braziliense colocou tudo isto no lugar certo.”

Gastão Cassel, jornalista, no Facebook


Sensação de esforço em vão

A luta pela vida contra a Covid-19 tem na informação um dos seus principais pilares – se não o principal. Mas os números de casos e de mortes indicam que o esforço de bem informar tem sido vão.

Nos 100 anos da Folha, podcast Café da Manha discute tendências do jornalismo

O Café da Manhã, podcast da Folha de S.Paulo e um dos campeões de audiência do Spotify, produziu um episódio especial sobre como as pessoas vão se informar no futuro e outras tendências para o jornalismo. O mote são os 100 anos da Folha, comemorados nesta sexta-feira (19).

Bot no WhatsApp reúne informações e curiosidades culturais de Florianópolis

Em 2020 estive envolvido na gestão de conteúdo de um novo produto digital: a Estimada, o bot cultural de Floripa, que está sendo lançada nesta semana, inicialmente com campanhas nas redes sociais.

Trata-se de um chatbot acessado pelo WhatsApp que reúne uma série de informações e curiosidades sobre cultura, tradições, lugares, passeios, gastronomia, fatos e personagens históricos de Florianópolis.

Ao editor, as batatas!

Uma manchete de O Globo chamou atenção nas redes sociais e virou motivo de piada, especialmente no Twitter: