O uso do WhatsApp no jornalismo hiperlocal: o exemplo de O Município

Padrão


Por ALEXANDRE GONÇALVES

O jornal O Munícipio, de Brusque (SC) e com edições locais em Blumenau e Joinville, destaque no jornalismo hiperlocal e digital de Santa Catarina, tem usado ostensivamente o WhatsApp como canal de distribuição de conteúdo. Somando as edições para cada cidade, são 294 grupos e totalizando quase 55 mil usuários inscritos.

Em reportagem publicada nesta segunda-feira (27), O Município celebra os resultados da estratégia, iniciada em 2018 após as eleições de 2018 tem como objetivo aproveitar o poder viral do aplicativo.

“O compartilhamento de notícias falsas se intensificou de tal maneira que identificamos uma oportunidade de combatê-las com conteúdos confiáveis, produzidos com profissionalismo. Com o tempo tornou-se uma fonte importante de audiência”, diz Andrei Paloschi, diretor do jornal.

Conteúdo no WhatsApp para combater fake news

Participo da reportagem analisando o uso do Whats por sites de notícias. Escrevi:

A distribuição de conteúdo é um dos pontos essenciais para o os sites de notícia. Precisa estar no centro das discussões da redação. Não dá para ficar esperando que o leitor lembre de entrar na home do site para dar uma espiada das manchetes.

O site precisa ir até ele. E faz isso pelas redes sociais, pela edição de SEO para aparecer nas buscas do Google, pela newsletters disparadas por e-mail e também pelos aplicativos de mensagens, como faz O Munícipio.

O uso dos grupos para o envio de chamadas e links já seria, portanto, uma medida acertada dentro da gestão de audiência do site. Ou seja, de cara, é um medida positiva para o site de notícias enquanto negócio.

E se torna ainda mais importante justamente porque coloca o site e seu conteúdo confiável “jogando” num território que carece de boa informação, de informação checada, como contraponto para os disparadores de fake news que tem no Whats sua plataforma “preferida”.

Acredito que isso faça grande diferença no dia a dia das pessoas, mas especialmente em situações atípicas como a pandemia da Covid-19 em que a circulação de informações corretas é essencial.

Neste sentido, a facilidade com que os conteúdos do Whats podem ser compartilhadas entre usuários é outro benefício que pode ser explorado por um site de notícias visando a propagação do conteúdo produzido por jornalistas profissionais.

Por isso, vejo como uma ação que precisa ser mantida e ampliada no próprio WhatsApp e também em outros aplicativos de mensagens como o Telegram, que possui mais facilidades para a criação de grandes grupos e tende a ser relevante nas eleições de 2022.

Quem também está na reportagem é o jornalista Giuliander Carpes, que inclui a experiência de O Munícipio em sua pesquisa de doutorado, realizada em 2020. “Se não for o jornal brasileiro com maior audiência no WhatsApp, O Município certamente está entre os dois maiores”, diz Carpes.

Leia a reportagem completa e como acessar os grupos de O Município.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *