Canais no YouTube e até o Space do Twitter: a cobertura do BBB fora da casa (e da Globo)

Padrão


Por ALEXANDRE GONÇALVES

Alguns amigos no Twitter e no Instagram provavelmente não irão ler esse texto porque silenciaram a exibição de qualquer postagem com menções ao Big Brother Brasil, BBB, BBB222 e suas variações com e sem #. Ou não se interessam pelo programa da TV Globo ou estão com pilhas de livros para colocar a leitura em dia… 😉

Entendo, mas lamento porque, principalmente de 2020 para cá, quando o programa voltou a despertar interesse do grande público (pela carência provocada pela pandemia; naquele ano era a única atração de entretenimento inédita no ar), o BBB ajudou a aumentar e consolidar um “universo paralelo” à Globo, capaz de atrair milhares de seguidores para suas plataformas.

Há um misto de identificação e busca por diversão e eles se tornam fãs, inscritos e até assinantes (membros, como chama o YouTube: o seguir paga um valor mensal de apoio e eventualmente recebe algum tipo de recompensa, conteúdos extras e exclusivo).

Ou seja, você pode não assistir ao programa. Mas não pode deixar de acompanhar (com interesse pelo modelo de produto digital, incluindo a geração de receitas) e se divertir (por passar longe da cobertura oficial da Globo, pelo tom crítico e pelo ótimo humor de seus criadores, apresentadores e participantes). Estamos falando de entretenimento…

E não por acaso, na edição do BBB 22, que começa nesta segunda-feira (17), a Globo incluiu duas novas atrações de zoação do programa muito no clima do que se vê fora da emissora (incluindo suas plataformas digitais) com o apresentador Marcos Mion e o comediante Paulo Vieira. O Brasil tá vendo…

Canais no YouTube

A repercussão do BBB movimenta as redes sociais, especialmente Twitter e Instagram. As plataformas se tornaram importantes para o engajamento e os mutirões que os fãs fazem para apoiar os participantes, especialmente por causa das votações de eliminação. Mas no “universo paralelo” da cobertura, o destaque são os canais no YouTube.

A maioria não é restrita ao tema BBB. São canais de entretenimento com alguns anos de existência e que falam de cultura popular, futebol, música, TV e… reality shows. Mas é quando o Big Brother começar que o show desses canais acontece de verdade.

Na lista dos que acompanho, destaco:

Chico Barney Urgente

74,9 mil inscritos

O também colunista do UOL Chico Barney reúne a partir das 19h um time de “especialistas” para debater as questões mais relevantes do programa. O tom é de descontração e inclui participações como a da dentista que analisa se os participantes do BBB fizeram ou não algum procedimento dentário ou de harmonização. Ou o “comentarista oficial” do canal, o Cowboy de Taubaté, que tentou inúmeras vezes participar do Big Brother, mas nunca conseguiu.

Chico caminha para se tornar uma “lenda do BBB” mesmo sem participar do programa. Todos os anos, logo após o dia da estreia, ele anuncia no Twitter (@chicobarney) quem será o vencedor ou vencedora. Mesmo se acertar, todos esperam quem ele vai apontar e a previsão virou um “evento” a ponto dos participantes e até a TV Globo o citarem em suas postagens.

👁️ Acesse: www.youtube.com/user/chicobarneytv


O Brasil que Deu Certo

173 mil inscritos

Como dizem os criadores do canal, Ciro Hamen e Matheus Laneri, O Brasil que Deu Certo é um canal para quem gosta de cultura muito popular brasileira e sempre com bom humor. Eu gosto e por isso sou inscrito, assinante do canal, cliente da loja e fã das camisetas (olha essa!). As pautas do canal são variadas e incluem muitos episódios em que eles fazem listas ou analisam programas de TV e streaming.

Durante o BBB, Ciro e Mateus capricham nas análises (ácidas e sarcásticas) e uma das máximas da dupla é criticar os participantes que são contra o entretenimento. E entre os conteúdos que mais viralizam no canal estão a lista do “Pior para o melhor”, em que analisa o desempenho de cada participante, e “A semana de…”, quando elegem um dos participantes que mais se destacou na semana para mostrar “porque é ele” (e merece a torcida do canal).

👁️ Acesse: www.youtube.com/c/OBrasilQueDeuCerto


WebTVbrasileira

2,04 mi de inscritos

Mantendo uma programação fixa com uma live diária sempre às 20h, o canal Tati e Marcelo é um fenômeno. Conta com uma infraestrutura técnica que impressiona, um bordão famoso na internet (“faz murrinho, vire membro”) e “fome de bola” em tempos de BBB: entram ao vivo no canal em edições extraordinárias ao longo do dia além da edição habitual sempre após a exibição do programa da TV. E para os membros/assinantes ainda promovem uma live exclusiva para assistirem juntos a edição do programa do dia.

Além dos mais de 2 milhões de inscritos, o que mais me impressiona na WebTVbrasileira é o perfil do público. Com frequência aparecem comentários no chat dos programas como “minha avó se tornou webtvzeira” ou “virei webtvzeiro por causa da minha mãe”. Ou seja, muito provavelmente o canal atrai um público muito mais próximo da TV dos outros canais que tratam do BBB.

👁️ Acesse: www.youtube.com/c/WebTVBrasileira


O Space do Muka

E em 2022 temos uma surpresa no “universo paralelo” à Globo na cobertura do BBB.

Trata-se do #SpacedoMuka. O “Muka” é o apelido do jornalista Murilo Ribeiro, atualmente repórter de entretenimento no portal Metrópoles (breve um post sobre esse fenômeno…) e que está usando a ferramenta Space do Twitter para reunir outros jornalistas e especialistas em TV (o próprio Chico Barney passa por lá) e reality shows para conversar sobre o Big Brother todas as noites, a partir das 23h.

o que é space do muka

A surpresa é uma ação fazer sucesso usando o Space, uma ferramenta que o Twitter criou na carona do (esquecido) ClubHouse e usa a mesma ideia: permitir criar salas de conversação em áudio ao vivo com múltiplos apresentadores/comentaristas e acesso livre para ouvintes. Após o encerramento os episódios não ficam arquivados – tipo Stories do Instagram. Aliás, a desconfiança sobre o Space nasceu porque o Twitter já vinha de um fracasso, o Fleet, uma tentativa de cópia do Stories e já descontinuada.

Mas parece surgir um horizonte para a ferramenta com o sucesso do #SpacedoMuka. Exemplo disso é que marcas já estão se associando à iniciativa de Murilo Ribeiro (que já mudou seu nome no Twitter para “Muka do Space”). A primeira foi o Burger King. Veja o tweet abaixo.

👁️ Acesse: @falamuka no Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *