Um passarinho me contou: A nova onda do Twitter?

Padrão

Desde muito tempo sempre botei mais fé no Twitter que em qualquer outra rede social. Não só pode ser usuário de primeira hora, com conta criada no ano de lançamento, mas por sempre enxergar um grande potencial do microblog para o jornalismo. Sempre repeti que era Twitter + 1. E hoje, mesmo acreditando no maior potencial do Instagram Stories, faço aqui um primeiro registro do que estou observando e considerando uma nova onda twitteira.


Leia também:
Há dez anos, o dia em que um rio passou na vida do Twitter


Ainda não fui atrás de números, mas é evidente que mais gente está usando por causa da campanha eleitoral e pelo uso do Twitter como canal oficial de comunicação de presidente e ministros. Para acompanhar o que eles têm a dizer (e desdizer), precisa estar na rede do passarinho.

Isso tem o lado bom, mas tem o lado perverso também com o compartilhamento de fake news e com o uso criminoso de “perfis de paródia” que focam em jornalistas e veículos de comunicação e que de paródia – ou de piada – não tem nada.

O Twitter esquecido de Atlântida

Por outro lado, nesta retomada de status do Twitter, é curioso ver usuários – pessoas físicas e sites/veículos – que do nada voltam a atualizar suas contas. Vi outros exemplos, mas destaco o perfil da rádio Atlântida FM, de Florianópolis. O @atlfloripa tinha sido atualizado pela última vez em 11 de julho de 2017 e, do nada e sem nem mesmo uma “estamos de volta”, recebeu um novo tweet no dia 9 de janeiro de 2019. E seguiu sendo atualizado nos dias seguintes (são mais de 46 mil seguidores que foram abandonados…).

Acredito que seja um indicativo de que, de fato, muitos veículos poderão dar uma nova chance para o Twitter. A conferir se o público do veículo fará o mesmo movimento. Talvez só pelo “debate” (ou algo parecido com isso) político não seja o suficiente. Mas quem sabe os chamados thread, a nova febre entre os twitteiros, possa trazer mais gente para a rede.

O fio da meada

O thread (fio, na tradução literal) é uma sequência de tweets de uma mesma conta que forma uma narrativa a respeito de um determinado tema. Atualmente, o hit no Twitter é o 1 link = 1 curiosidade em que um usuário promete compartilhar curiosidades sobre um assunto ou sobre sua vida pessoal ou profissional. É de fato curioso e um grande número de usuários tem participado. Entre os quais indico:

@rosana (curiosidades sobre sua trajetória de roteirista e redatora em programas de TV)

@avaiemnumeros (curiosidades sobre a participação do time do Avaí no Campeonato Catarinense ao longo de sua história)

@lilianeferrari (curiosidades sobre “tretas” de blogueiros, blogueiras e influenciadores digitais)

@RickSouza (curiosidades sobre audiência)

Seguindo o formato thread tivemos na semana que passou uma surpresa agradável: o perfil da Folha de S.Paulo no Twitter adotou pela primeira vez esse modelo de conteúdo.

Abaixo, um dos primeiros threads postados pela Folha.

A iniciativa da Folha foi saudada como uma das mais interessantes em termos de uso de rede social pela imprensa tradicional dos últimos tempos, como destacou a jornalista e professora Nivia Carvalho em seu Twitter (@n1viacarvalho).

Concordo com ela, E também gostei da sacada da Folha por causa vai ao encontro ao que sempre defendi como critério para dizer se uma rede social é boa ou não: a possibilidade de criar um outro uso e não usá-la seguindo o padrão “oficial”. E não fica só na distribuição de links. É um conteúdo para o usuário que está e quer ficar no Twitter.

Para conferir os threads já publicados pela Folha:

Threads da Folha

Tem conta no Twitter? Está acessando a rede social e tem percebido uma movimentação diferente?  E siga @primeirodigital.

Sobre o título do post

Um passarinho me contou é o título de dois livros sobre o Twitter. Um é escrito por Biz Stone, um dos seus fundadores, e o outro por Rosana Hermann, uma das primeiras usárias da rede social no Brasil.