Fotos de Geddel escolhidas a dedo para ilustrar publicação de notícia

Padrão

Em outubro de 2015, escrevi no Primeiro Digital um post sobre “As caras de Cunha”, abordando a questão das fotos escolhidas para ilustrar as reportagens sobre a descoberta da conta na Suíça do então presidente da Câmara dos Deputados. O título já trazia uma brincadeira com o assunto porque a maioria dos sites escolheu uma foto onde o deputado aparece com cara de…“ops, deu ruim”. Escrevi naquele post:

O mesmo cuidado com a escolha de fotos que os colegas editores têm quando preparam a capa de um impresso – jornal ou revista – os editores de portais e sites também deve ter. E não é só para garantir também uma boa edição da home. Mas principalmente para impactar nas redes sociais, no caso, o Facebook.

Postar o link com uma notícia que tem um título bem feito e que carrega junto uma imagem forte aumentam as chances de conquistar a atenção do leitor e gerar acesso para o portal ou site.

Muitas vezes, a imagem é a notícia. Outras vezes, a imagem é um acompanhamento que pode ser a cereja do bolo, aquela imagem que provoca alguma tipo de emoção. Pode até ser uma imagem de arquivo, desde que tenha essa “pegada” provocativa.

Essa tem sido a opção dos sites e portais nas reportagens sobre Temer. A foto é sempre de arquivo e com alguma expressão diferente, uma careta ou um olhar perdido.

Ontem, para uma mesma notícia, tivemos o uso deste procedimento de escolher a foto a dedo para “bombar” nas redes sociais. A notícia Geddel alega risco de “estupro” ao pedir retorno à prisão domiciliar foi produzida pela Agência Estado. E o Estadão e o Diário Catarinense foram precisos na escolha das fotos para ilustrar a publicação em seus sites.

Veja a do Estadão.

Veja a do Diário Catarinense.

Pelo ridículo do pedido (negado pela Justiça) e até pelo personagem igualmente patético que é Geddel Vieira Lima, beirou a galhofa a escolha das fotos. Já nasce como meme. Arrancou curtidas e risadas e parece refletir a necessidade geral e irrestrita de alívios cômicos que estamos todos precisando.

Dá até questionar o uso de fotos de arquivo, desvinculadas do fato em questão. Mas é isso ou é lotar as páginas do Facebook com o logo dos sites. Fico sempre com a sacada criativa. Concorda?

Você tem alguma informação ou comentário para acrescentar a este conteúdo?