“Acreditamos que estaremos entregando um produto consistente e inovador”, diz gerente digital do DC

Padrão

O Diário Catarinense, jornal do Grupo RBS, estreou nesta segunda-feira (26) um novo posicionamento editorial, retomando a cobertura estadual como seu carro-chefe. No impresso, as mudanças foram pontuais, com destaque para a nova marca, enquanto no digital houve uma reformulação completa do produto. Novo layout, novas editorias, nova organização do conteúdo, com desafio e objetivo bem definidos, como diz a gerente digital do Diário Catarinense, Gabriela Silva, em entrevista ao Primeiro Digital. “Os catarinenses apreciam a boa informação e as boas plataformas digitais”, diz. “Sempre que temos boas iniciativas, o retorno é muito positivo e é por isso que apresentamos o projeto do DC ano 30 com tanta crença”.

Leia a entrevista a seguir.

Primeiro Digital – Qual será o grande desafio do novo DC digital, na sua opinião?

Gabriela Silva – Nosso desafio continua sendo monitorar as tendências digitais e acompanhar os hábitos de consumo e a jornada do nosso leitor nas nossas plataformas digitais, a fim de manter um aprimoramento constante do produto. Nosso objetivo é manter uma plataforma digital sempre à altura do jornalismo de qualidade que queremos entregar ao nosso público – que atualmente é de 1,5 milhão de catarinenses por dia.

Gabriela Silva - Crédito Emerson Souza (Agência RBS)

Gabriela Silva, gerente digital Diário Catarinense | Foto: Emerson Souza/Agência RBS/Divulgação

Primeiro Digital – O site do DC não acompanhou as mudanças que o impresso sofreu em sua última reforma gráfica. Desta vez, as duas plataformas estão mudando juntas. O que motivou esta mudança simultânea? A ideia é adotar de fato uma mesma identidade?

Gabriela Silva – Certamente. Nosso objetivo é que o leitor reconheça os atributos da marca de jornalismo que o Diário Catarinense é, independentemente da plataforma em que esteja nos consumindo.

Primeiro Digital – Como será o trabalho dos curadores de conteúdo? Haverá uma aposta em jornalismo cidadão ou colaborativo, o que pode ajudar nesta proposta de cobertura estadual mais ampla?

Gabriela Silva – Temos dois projetos nesta linha. Um deles, o “De Ponto a Ponto” traz a visão de jornalistas de diversas regiões do Estado sobre questões importantes da comunidade para se discutir em um panorama ampliado, estadual. O time é composto por Jefferson Saavedra (Joinville), Pancho (Blumenau), Dagmara Spautz (Itajaí), Darci Debona (Chapecó), Mônica Jorge (Florianópolis) e Ricardo Gomes Dias (Criciúma).

Além disso, o “De Ponto a Ponto” também abrange a eleição de uma causa comunitária que será escolhida pelos leitores, por meio de votação no nosso site, para que o jornal encampe no próximo ano. Apresentaremos três temas de extrema relevância para o Estado, e o vencedor ganhará lugar cativo em todas as plataformas do DC. Nosso intuito, como voz de Santa Catarina, é contribuir para que os nossos problemas sejam resolvidos. O lançamento dos temas será na edição de fim de semana, no próximo sábado.

O outro projeto, chamado “Vozes”, traz o leitor para as nossas plataformas como autor do conteúdo. Todo dia muitos assuntos são discutidos pelos catarinenses nas redes sociais ou nas rodas de conversa. Assim como as pessoas, o DC se interessa por essas conversas e quer dar espaço para elas. O “Vozes” monitora temas relevantes para a sociedade e convida pessoas interessantes, que tenham conhecimento ou uma opinião que contribua para o debate, para construir conteúdo sobre esses temas.

DC Ano 30

Primeiro Digital – Neste novo DC digital, como será a produção de especiais como o premiado As Quatro Estações de Iracema e Dirceu? O DC pretende expandir a produção deste tipo de conteúdo?

Gabriela Silva – O jornalismo de qualidade é a nossa essência e, certamente, grandes reportagens como “As Quatro Estações de Iracema e Dirceu” são um pilar fundamental na nossa estratégia de conteúdo. Queremos continuar aprimorando a entrega destas reportagens também no ambiente digital. O trabalho que fizemos com “As Quatro Estações” nos deixou muito orgulhosos e estimulados a produzir mais especiais digitais.

Primeiro Digital – Por fim, que avaliação você faz do mercado de jornalismo digital em Santa Catarina?

Gabriela Silva – Assim como em vários segmentos, de comunicação ou não, em Santa Catarina o mercado de jornalismo digital é muito promissor. Os catarinenses apreciam a boa informação e as boas plataformas digitais. Sempre que temos boas iniciativas, o retorno é muito positivo e é por isso que apresentamos o projeto do DC ano 30 com tanta crença. Pesquisamos e entendemos o que os catarinenses esperam consumir no digital e acreditamos que, com este projeto, estaremos entregando um produto consistente e inovador.

Confira o novo DC em www.diariocatarinense.com.br

Assista vídeo sobre as novidades no site do DC

Diário Catarinense estreia novo site nesta segunda-feira

Leia também o artigo assinado pela Gabriela Silva.

Você tem alguma informação ou comentário para acrescentar a este conteúdo?