Mapa Mental 🤔 #31 | Streaming salva a tradição dos debates esportivos em Florianópolis

Padrão

por ALEXANDRE GONÇALVES

Nesta edição do Mapa Mental:

Streaming salva a tradição dos debates esportivos em Florianópolis
– Atenção você que mora sozinho em livraria
– A boa notícia que vem do Google
– Uma experiência com podcast
– Se Joga: Interatividade real ou objeto de cena?


Streaming salva a tradição dos debates esportivos em Florianópolis

TV é hábito, dizem os especialistas. E quando o hábito deixa o consumidor mal acostumado, como faz? É o caso dos torcedores de Avaí e Figueirense que ficaram sem debates esportivos nas noites de domingo desde que a TV Com encerrou suas atividades, em 2017. Nenhuma emissora da Capital se interessou em batalhar um espaço na grade para discutir os jogos do fim de semana, uma tradição local fortalecida lá nos anos 80, com os debates da TV Cultura/RCE TV.

A RICTV mantém o Clube da Bola, único debate esportivo na TV local, aos sábados, às 13h30, mas com foco na semana e na projeção dos jogos do fim de semana.

Mas desde abril o VEG Esportes, um “projeto de internet”, está tentando virar o jogo e ocupa o espaço vago aos domingos para satisfação dos torcedores de Avaí e Figueirense, ainda que a fase da dupla não seja nada animadora no Brasileirão. E é justamente o momento dos times que dá ainda mais importância para o programa.

O time do VEG Esportes é formado por nomes conhecidos do rádio e da TV de Santa Catarina, como Miguel Livramento e Sérgio Murilo. A programação é transmitida ao vivo, direto de um coworking em Florianópolis, pelo Facebook e pelo YouTube. Em dias de jogos da dupla, é apresentado um programa pré-jogo e outro pós-jogo. E aos domingos, todos se reúnem a partir das 21h para duas horas de debate.

Os números são animadores, como escreveu o jornalista José Henrique Koltermann, o comandante dos programas. “No domingo, 18 de agosto, somente na transmissão do Facebook, atingimos mais de 5 mil visualizações, quase 900 comentários e mais de 10 mil pessoas alcançadas. No YouTube, a fidelização também tem crescimento constante”, escreveu Koltermann. “Ainda temos muito caminho pela frente, ajustes normais pra quem apostou no streaming, mas temos a certeza que estamos no caminho certo”.

De fato, os números são animadores. Segue a tendência do crescimento de conteúdo em streaming, que está também mexendo com a TV paga. Outro detalhe é que o projeto é patrocinado por um grupo empresarial (VEG), o aponta um caminho a ser explorado. E ainda há uma ousadia no projeto que é apostar inteiramente em contas em redes sociais e não em canais próprios. Mas isso ajuda na propagação, pelos números destacados.

Por fim, observar o modelo e o desempenho do VEG Esportes pode ser inspirador até para que as emissoras de TV possam pensar em dar um f***-se para a grade da rede e investir mais no streaming em suas plataformas digitais.

Acompanhe o VEG Esportes no Facebook e no YouTube.

Por falar na tradição dos debates em Florianópolis…

Excelente reportagem do colega Felipe Pereira, do UOL, sobre a invasão dos estúdios da RCE TV por um soldado da Polícia Militar, ocorrida em 1986 durante a transmissão, ao vivo, do Terceiro Tempo, debate esportivo que fez história na mídia catarinense.

Leia aqui.

E sobre TV paga, você sabia a cada minuto, 3 pessoas cancelam TV paga no Brasil; nos EUA, 6.

Atenção você que mora sozinho em livraria

Às vezes o redator das redes sociais embaralha as fichas. Leia o texto.

A boa notícia que vem do Google

A manchete é Google muda algoritmo e prioriza notícias originais na busca, mas poderia ser “Ei pessoal dos sites sérios, vamos ser amigos?”. Muito site do tipo “loteamento de AdSense” aparece em destaque na busca com notícias chupadas de sites responsáveis pela produção do conteúdo original. E aí é um ganha-ganha para todos…só que não.

O dono site ganha seus trocados em dólar e o Google, a maior fatia do anunciante. E quem produzia de fato o conteúdo ficava com os custos de produção porque não era “privilegiado” pelo algoritmo da busca. Já vi muito isso ocorrer quando estava na gerência de internet do Grupo RIC. Que seja corrigida essa baita distorção (e que arraste para o ralo também as notícias falsas).

Leia mais na Folha (para assinantes) ou no B9.

Uma experiência com podcast

Escrevi aqui no blog sobre o Gengibre, ferramenta lá de 2008 e que era conhecida como “Twitter de voz” e destaquei, além do uso que dei para ela, que servia muito para compartilhar conteúdos em tempo real, mais urgentes.

Seguindo mais ou menos essa ideia, Alexandre Malon, pioneiro do podcast no Brasil, lançou um projeto chamado Nota Pessoal. Trata-se de uma experiência, na verdade, dentro do podcast Zing!, em que ele, durante 30 dias, irá publicar um episódio diário. “São reflexões mais breves e no fim das contas cada episódio são notas pessoais”, diz.

Ouça o primeiro podcast da experiência de Malon em que ele explica como surgiu a ideia do Nota Pessoal e se faz sentido ter um podcast diário que não de notícias.

Diga nos comentários: Faz sentido um podcast diário?

Se Joga: Interatividade real ou objeto de cena?

A Globo estreia no próximo dia 30 o Se Joga, programa que vai ocupar a faixa da tarde que já foi do extinto Vídeo Show. Muitos olham a atração com desconfiança, com jeito de “balaio” de quadros. Mas na primeira foto do cenário que vazou na internet chamou atenção de uma mudança: saíram os tradicionais telões (tipo TVs) e entraram agora telas que lembram smartphones. Sinal de um programa conectado e interativo? Ou apenas objeto de cena? A conferir.

Em tempo: Tirando o episódio Sidão, a Globo tem acerto no uso da plataforma digital no Esporte, com pós-jogo no GE. Bom caminho para expandir para outros programas da grade.

 

Mapa Mental é a coluna de notas e insights do Primeiro Digital. Sempre às terças uma nova edição.

Todas as colunas.


Receba as atualizações por e-mail. Saiba como.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *