Fake news: Vamos falar de outros assuntos em 2019?

Padrão

É verdade: o assunto fake news dominou as discussões sobre comunicação, uso de redes sociais e WhatsApp, influência nas eleições e papel do jornalista/jornalismo.

Acredito que seja importante tratar de algo tão nocivo, mas fica sempre a sensação de estarmos enxugando gelo tamanha a complexidade e a proporção que isso tomou. Como pode alguém botar fé e compartilhar tantos absurdos?

E fico pensando o que perdemos, enquanto profissionais da comunicação e do jornalismo, quando nossa atenção fica concentrada num único assunto.

O que deixamos de discutir?

Que problemas deixamos de buscar soluções? Modelos de negócio viáveis para produtos digitais? Novas oportunidades para jornalistas? Novos caminhos para jornais e sites de notícias?

E como pergunto no título do post, vamos falar de outros assuntos em 2019 ou continuaremos no loop das fake news?

Repito: não estou pregando ignorar o assunto. Vivemos uma cruzada e é preciso contribuir para um melhor esclarecimento do público. Eu pessoalmente me envolvi com o tema lá no começo do ano quando produzi para o jornal Notícias do Dia uma série especial de três reportagens mostrando como surgem e como combater as notícias falsas.

Parte do material da série está no site do ND:

O fantasma da fake news

O combate às fake news

Na sequência, compartilhei diferentes conteúdos a respeito do tema e um deles, o post Como funciona a produção de fake news e como o comportamento na rede social ajuda na propagação é o mais acessado do blog desde setembro. E está bem posicionado no Google (entre a primeira e a segunda página de resultados) para as buscas sobre “como é a produção de fake news”.

Mais sobre fake news: primeirodigital.com.br/fakenews

No final de outubro, meu envolvimento com o assunto me fez co-autor da letra da música-tema do Pauta que Pariu, bloco de carnaval dos jornalistas aqui de Florianópolis, que escolheu fake news como enredo do Carnaval 2019 (a letra, escrita em parceria com o amigo Gastão Cassel, está no blog do jornalista Carlos Damião; “Checa, checa, checa…”).

Por fim, neste mês de novembro participei como palestrante da semana de Segurança da Informação da Digitro Tecnologia, aqui de Florianópolis. Apresentei um panorama geral sobre as fake news, ressaltando casos e a importância de desconfiar e checar sempre tudo o que surge nas redes sociais e nos grupo de WhatsApp.

Acompanhar o assunto fake news não é novidade para mim. Desde meu outro blog, o Coluna Extra, abordo o assunto e “monitoro” exemplos de conteúdo falso em  redes sociais e veículos. Até usei alguns na palestra da Digitro.

Mas confesso que chega um momento em que é preciso ajustar o foco. Ou ao menos ampliar o alcance do que devemos priorizar e não ficar no “só se fala nisso” (cansa até o Homem de Ferro :). A pauta não pode ser monotemática e não dá para se deixar levar nem se distrair com o caos provocado pelas fake news. Temos que falar MUITO de outros assuntos tão relevantes quanto para a comunicação e o jornalismo.

Quem começa a pauta?