#Migrei: “Me sinto muito mais à vontade no marketing digital do que em redação”

Padrão

Diogo Honorato deixou um comentário “curto e grosso” no post de divulgação da entrevista com Bruno Volpato que abriu a série #Migrei do Primeiro Digital: “Também migrei e tô bem feliz”.

Jornalista formado há dez anos pela Universidade Federal de Santa Catarina, Diogo atualmente é coordenador de marketing digital em uma rede de ensino no Paraná, onde gerencia uma equipe de 10 pessoas (entre colaboradores e fornecedores) e administra um orçamento anual da casa de seis dígitos.

Antes, em redações e na assessoria de comunicação da Federação das Indústrias de Santa Catarina, tomou gosto pela pauta de economia e negócios, experiências que contribuíram para chegar ao atual momento na carreira. “Fiz também um curso de jornalismo de dados e tudo isso me fez ter muito mais facilidade e gosto pelo universo empresarial e dos números”, diz Diogo.

Na segunda entrevista da série #Migrei, com jornalistas que estão no mercado de marketing digital, ele conta como foi a mudança e o que fazer para migrar e enfrentar os desafios da área.

Leia a entrevista.

Primeiro Digital: De que forma o que vivenciou na profissão influenciou na decisão de migrar pro marketing?

Diogo Honorato – Desde 2007 vinha tendo contatos com assuntos relacionados à economia e estatística. No Trabalho de Conclusão de Curso, fiz um projeto editorial e gostei bastante do que tive que aprender sobre marketing e administração. Depois na experiência de trabalhar na FIESC e Senai como Analista de Comunicação, durante quatro anos apurei e escrevi sobre temas relacionados a economia,  mercado e universo empresarial.

O sistema de gestão do SENAI Santa Catarina também sempre foi muito avançado e aprendi bastante sobre estratégias de marketing, gestão de processos, pessoas, finanças, entre outros. Trabalhávamos o conceito de Comunicação Integrada e isso sempre ajudou a ter bons resultados.

Naquela época ficou claro que se você não tem uma base sólida em marketing não consegue produzir resultados em assessoria de imprensa e produção de conteúdo. Também comecei a observar quanta coisa interessante havia para aprender no universo do marketing e da administração.

Já o jornalismo parecia sempre mais do mesmo. Então percebi que para crescer na carreira, precisaria ampliar meu universo de conhecimentos. Por isso resolvi fazer uma pós-graduação em outra área: Administração de Empresas (na FGV). Depois disso, tinha certeza: não era mais “apenas” jornalista.

Primeiro Digital: Por que diz que não pretende retornar ao jornalismo? Qual o motivo para permanecer no marketing digital?

Diogo Honorato – Há uma série de motivos. Primeiro não é novidade para ninguém na área que o jornalismo atual enxuga cada vez mais o número de vagas. Então a escolha mais lógica para qualquer um que precisa pagar suas contas é migrar para o marketing digital. É uma pena porque o jornalismo tem um aspecto muito motivador , além se sua importância para a sociedade. Mas infelizmente ainda não dá para pagar a conta do mercado só com paixão.

O segundo motivo é uma questão de trajetória profissional. Nos últimos cinco anos me dediquei às áreas de marketing e administração, e nos anteriores tive um pé no jornalismo e outro nas duas áreas. Me sinto muito mais à vontade na área de marketing digital do que atuando em redação.

Terceiro , por focar em construir um futuro. Conheço pessoas que atuaram em redação por anos , foram até editores. Mas quando perderam seus empregos não conseguiram se recolocar no Jornalismo e tiveram que mudar de área. É uma questão matemática: cada cidade em geral tem entre 5 e 15  veículos de comunicação. E o número não muito maior de assessorias de imprensa e comunicação institucional.  Já na área de marketing – principalmente marketing digital – são centenas, milhares de empresas que querem profissionais qualificados para alavancar seus resultados.

Como profissional de marketing , você tem uma formação mais ampla e está apto a alcançar cargos maiores em uma empresa. Se seu conhecimento se restringe ao jornalismo , você provavelmente só conseguirá ficar restrito a tarefas táticas.

Além disso quando você atua em marketing, acaba adquirindo uma série de habilidades e competências que podem ser úteis até para empreender.

Primeiro Digital: O que de mais importante você precisou aprender para encarar a transição?

Diogo Honorato – Para migrar eu tive que aprender tanta coisa que é até difícil te dizer o que foi mais importante até porque teve uma pós aí no meio. De uma maneira geral, creio que foi importante aprender princípios de gestão, fundamentos de marketing, redação publicitária e inbound marketing, que por si só já é uma área bem complexa.

Sempre bato na tecla que “marketing digital” é, antes de mais nada,  marketing. E por isso os fundamentos do marketing devem estar bem consolidados. A partir daí é que você deve ir para a técnica: as características de cada rede social, os funcionamentos das ferramentas…

Mas para chegar a um nível pleno, acredito que seja necessário entender de tudo um pouco: design, gestão de campanhas, análise de dados… Hoje eu mesmo sou até um pouco programador e isso já me ajudou bastante.

Primeiro Digital: Como você avalia o mercado do marketing digital para jornalistas? Qual deve ser o caminho de quem pretende migrar para a área?

Diogo Honorato – Acredito que nós jornalistas temos diversas competências e habilidades aproveitáveis no marketing digital – e muitas vezes nem sabemos. Temos facilidade em desenvolver ideias, simplificar conceitos difíceis, trabalhar bem as palavras, preocupação com a precisão das informações e uma formação holística. Tudo isso é aproveitável na comunicação mercadológica. Mas, claro, é preciso agregar muitos outros conhecimentos para saber adaptar essas habilidades a outros formatos

Contudo, é preciso contar a realidade: ao mesmo tempo que o marketing digital possui mais oportunidades que o jornalismo, a concorrência também é maior. Isso porque profissionais de diferentes áreas  atuam  no meio digital (publicidade,  jornalismo, relações públicas, design, tecnologia em marketing,  administração, letras e até outras sem relação com a área de comunicação).

O caminho mais comum e curto tem sido atuar com produção de conteúdo. Mas com conhecimento e experiência, há outras possíveis áreas de atuação. Fazer cursos é essencial (eu tive que fazer muitos e faço até hoje). Recomendo fazer investimentos em cursos mais amplos para ter noções de diferentes áreas do marketing digital para não ficar restrito  apenas a saber postar no Facebook e escrever no blog. Depois disso, vá se especializando em cada área. E pratique muito!