#Migrei: “Me preparei ao buscar formação e ao acompanhar a migração de colegas para o digital”

Padrão

Com passagens pelos principais jornais de Santa Catarina, a jornalista Alessandra Ogeda migrou para o marketing de conteúdo/digital em junho de 2017, logo após deixar a função de comentarista de economia do Grupo RIC (jornal e TV). “A mudança de carreira foi um pouco planejada e um pouco por causa das circunstâncias que se apresentaram”, conta a jornalista, blogueira desde 2007.

Atuando na agência Tekoa, de Florianópolis, Ogeda diz que há vários anos já enxergava outro tipo de comunicação como sendo mais interessante do que o jornalismo tradicional. “A minha visão sobre a comunicação e o papel do comunicador – mais do que do jornalista – começou a mudar quando eu fiz um doutorado na Espanha entre 2006 e 2008”, lembra. Já de volta ao Brasil, em 2010 ela também retornou para as redações. “Naquela época, eu já achava que o digital era um caminho inevitável, mas eu ainda não tinha enxergado a grave crise do jornalismo que se manifestaria pouco a pouco”, analisa.

Na entrevista a seguir, a terceira da série #Migrei, Alessandra Ogeda destaca pontos importantes de sua migração do jornalismo para o marketing de conteúdo/digital.

Leia a entrevista.

Continue lendo

O fluxo de ansiedade no marketing digital

Nota

PARA REFLETIR – Como diz o professor Cortella, “pensar nos faz bem”. E eu tenho pensando muito nisso já faz tempo: como a ansiedade interfere no trabalho de quem pensa e produz conteúdo no marketing digital? É um cabo de guerra: de um lado o mercado que propaga crescimento em cima de crescimento e não dando tempo de maturar ideias, canais, formatos. E do outro lado, o cliente atropelando etapas e contratando especialista pra dizer como fazer.

#Migrei: “Me sinto muito mais à vontade no marketing digital do que em redação”

Padrão

Diogo Honorato deixou um comentário “curto e grosso” no post de divulgação da entrevista com Bruno Volpato que abriu a série #Migrei do Primeiro Digital: “Também migrei e tô bem feliz”.

Jornalista formado há dez anos pela Universidade Federal de Santa Catarina, Diogo atualmente é coordenador de marketing digital em uma rede de ensino no Paraná, onde gerencia uma equipe de 10 pessoas (entre colaboradores e fornecedores) e administra um orçamento anual da casa de seis dígitos.

Antes, em redações e na assessoria de comunicação da Federação das Indústrias de Santa Catarina, tomou gosto pela pauta de economia e negócios, experiências que contribuíram para chegar ao atual momento na carreira. “Fiz também um curso de jornalismo de dados e tudo isso me fez ter muito mais facilidade e gosto pelo universo empresarial e dos números”, diz Diogo.

Na segunda entrevista da série #Migrei, com jornalistas que estão no mercado de marketing digital, ele conta como foi a mudança e o que fazer para migrar e enfrentar os desafios da área.

Leia a entrevista.

Continue lendo

#Migrei: “Foi uma decisão pensada já que queria começar a trilhar meu caminho no marketing digital”

Padrão

Como já destacado no Primeiro Digital, a produção de conteúdo para marketing digital é um mercado que se abriu e parece crescer ainda mais para jornalistas. Não é uma migração automática porque exige conhecimentos específicos e uma compreensão de como as coisas funcionam na execução das tarefas e na própria relação com quem contrata.

Na observação deste movimento e por também fazer parte dele (é parte do menu da “plataforma do Alexandre”), começo uma série de entrevistas com jornalistas que trocaram a prática jornalística pelo trabalho com marketing digital. Migrei começa com a participação de Bruno Volpato, um dos criadores do site de humor Laranjas e que fez parte da equipe que eu montei para o projeto de internet RIC Mais, do Grupo RIC, em Santa Catarina.

Bruno, um editor de talento, sempre atento para tudo o que acontece ao seu redor numa redação (fez grandes contribuições sobre rotinas, uso de redes sociais, relacionamento com outros veículos…), é hoje do time da Resultados Digitais (Nota do Editor: Na foto, Bruno, de azul, entrevista o consultor Rafael Rez, autor do principal livro sobre marketing de conteúdo lançado no Brasil).

Com sede em Florianópolis, a RD domina o mercado de marketing digital no Brasil com seu software RD Station e como promotora de eventos como o RD On the Road e, principalmente, o RD Summit, que ajudam a propagar as práticas do marketing digital e acabam contribuindo também para a maior demanda por profissionais capacitados para produzir conteúdo para blogs, e-mails e redes sociais (Nota do Editor: Fale com o Bruno que ele explica mais sobre a edição 2018 do RD Summit, que mais uma vez terá três dias e será realizado em Florianópolis).

Na RD, Bruno é produtor de conteúdo, produzindo para o blog da empresa. E na entrevista abaixo, ele compartilha como ocorreu a migração para o marketing digital e, a partir de sua experiência, conta o que um jornalista precisa saber se decide fazer o mesmo caminho que ele.

Leia a entrevista.

Continue lendo