Segmentação perde espaço para “catadão da internet”

segmentação
Padrão

Fico impressionado e até desanimado quando vejo sites que estão abrindo mão da segmentação para virar um “catadão da internet”. Segmentação sempre foi um caminho viável para atrair leitores e anunciantes. Ainda mais nos dias de hoje quando se fala muito em ser referência, autoridade na área em que atua. Mas como chegar a esse patamar se falta “personalidade” ao site?  E no fim das contas fica parecendo um papagaio, repetindo o que outros sites e portais – estes sim referências – já publicaram e espalharam pelas redes sociais?

A decisão de “dar tudo”, mesmo que fuja da linha editorial e até da área de abrangência do site, me parece reflexo da falta de uma gestão de conteúdo. E de um desespero por cliques. Além de uma estratégia equivocada na relação com o leitor que começa a ver chamadas para assuntos distantes dos motivos que o levaram a seguir o site. Será que perguntaram para o leitor se ele quer seguir um “catadão” em vez de um conteúdo segmentado por assunto ou por localização?

Uma bom exercício para os sites que estão abandonando a segmentação é tentar resumir a linha editorial em uma frase. Mas não vale uma frase feita para um plano de marketing distante da realidade. Pensem na frase baseado na lista das 50 últimas chamadas que foram postadas no site. Garanto que será difícil pensar numa frase que seja de fato o resumo do que seja o site, releve seu diferente e seu potencial para ser referência.

Curioso que em tempos de crise, com demissões reduzindo ainda mais as redações, segmentar seria justamente uma aposta para manter um produto de qualidade apesar dos desfalques. Uma equipe menor, com foco definido, resulta num trabalho mais aprimorado. Mas não, parece que a tendência é querer manter o mesmo volume de conteúdo apesar da redação reduzida. Preferem descaracterizar o produto e rever o próprio modelo.

E quem já é pequeno e resolve abandonar seu nicho, pode ser honesto com seus leitores. Rever seu nome e slogan (se tiver) e deixar evidente que mudou, que quer oferecer mais conteúdo, mesmo correndo o risco de perder seguidores. Outra opção seria criar espaços dentro do site para a publicação de conteúdos que foge da linha editorial. Se é um site local, por exemplo, crie um blog para falar de assuntos nacionais (se quiser publicar até o que não é de fato relevante). Ou tome a decisão de ser o camisa 10 na sua área e volte a apostar na segmentação. Desta vez com mais disposição e muito mais convicção.


P.S.: E por favor, não justifiquem o “catadão” como um “serviço de curadoria para nossos leitores”. Curadoria tem foco e propósito. “Catadão”, não. É só bagunça, como as malas na imagem de Jerry Lewis em “O Mensageiro Trapalhão” que ilustra bem este post.

Você tem alguma informação ou comentário para acrescentar a este conteúdo?