Rivalidade versus bairrismo

Foto: Jamira Furlani/Divulgação/Avaí
Padrão

O clássico desta quarta-feira (6), pela Copa do Brasil, entre Avaí e Figueirense, em Florianópolis, é o confronto de maior rivalidade no futebol de Santa Catarina. O jogo, que terá acompanhamento também pela internet dos meus colegas do Diário Catarinense, Notícias do Dia, GloboEsporte SC e Infoesporte, é um exemplo do desafio que é conquistar e aumentar a audiência nos sites de notícias. Revela, na verdade, outro confronto: rivalidade versus bairrismo.

Florianópolis possui dois times, mas não tem duas torcidas. Tem as torcidas do Avaí e do Figueirense, mas também as do Grêmio, do Internacional, do Flamengo, do Vasco, do Corinthians, do Palmeiras, do São Paulo, entre outros times. A Capital de Santa Catarina é uma mãe. Está longe de ser bairrista. É cosmopolita por conta de diversos fatores históricos como a instalação da Eletrosul e a qualidade reconhecida da Universidade Federal de Santa Catarina, que contribuíram para a migração de gaúchos, paulistas, cariocas e paranaenses.

Com dois times e tantos torcedores de times de fora da cidade, ninguém torce com unhas e dentes por Florianópolis no futebol. Se alguém disser isso, mente. Diferente dos números de audiência se comparados, por exemplo, com o que ocorre em Joinville. Lá só existe o JEC, o Joinville Esporte Clube, e por mais que seja fruto da fusão de dois outros times da cidade (Caxias e América), supera qualquer rivalidade local e a torcida é 100% engajada em prol do tricolor da maior cidade catarinense (tem isso ainda…).

As características das duas cidade extrapolam os campos de futebol. Na minha passagem pelo Grupo RIC, na gestão do ND Online em suas versões daqui de Florianópolis e de lá de Joinville, era evidente a diferença no comportamento dos dois públicos. O de Joinville muito mais bairrista (no melhor dos sentidos), mais engajado, mais interessado nas coisas da cidade. Não por acaso, a fanpage tinha (ainda tem) o dobro de curtidores à do ND Florianópolis. Parece haver uma paixão ferrenha por tudo o que acontece na cidade. De um buraco na rua a de uma mudança no trânsito, de um rolo na Câmara de Vereadores a uma decisão polêmica do prefeito, passando pela nova camisa do JEC. Tudo é motivo para muitos cliques, curtidas, comentários e compartilhamentos.

No caso de Florianópolis, com sua característica multifacetada, o buraco é mais embaixo e o trabalho para envolver, engajar os leitores é sempre mais difícil. O desafio nesse caso é buscar algum ponto em comum dos públicos residentes na cidade. Caminhão quebrado nas pontes de acesso à Ilha de Santa Catarina, que afeta todo mundo, é um exemplo de conteúdo que pode conquistar a atenção e gerar o interesse do leitor sendo útil e prestando serviço. Ou partir para a memenização da notícia (conhece o Floripa Mil Grau?). E como disse acima, não será com conteúdo de Avaí e Figueirense, que fica sempre nos nichos de cada torcida.

 

Foto: Jamira Furlani/Divulgação/Avaí

Você tem alguma informação ou comentário para acrescentar a este conteúdo?

Deixe uma resposta