O impacto da capa

Padrão

Ao longo do dia, você deve ter ouvido que a “revista Isto É antecipou sua edição, que normalmente circula sempre aos sábados” por causa da reportagem sobre a delação do senador Delcídio do Amaral na Operação Lava-Jato. Estranhei essa de “antecipar a edição”. É muito pré-internet, não? É como se a gente precisasse correr até a banca para comprar um exemplar. E não é isso: a Isto É, acertadamente, liberou a reportagem e toda a documentação na internet.

Por isso, o certo seria dizer que a revista antecipou a publicação do conteúdo. Mas entendo a Isto É. Não dá para esquecer sua plataforma principal e também seria burrice não tirar proveito de uma oportunidade com uma capa tão explosiva. Não por acaso, a capa da “edição antecipada” está ilustrando chamadas nas redes sociais e ajudando a propagar a reportagem também pela semelhança com a famosa capa de Veja com Pedro Collor, que detonou o processo de impeachment de Fernando Collor – mesma manchete “conta tudo”.

Fez bem a Isto É, mas cabe a gente pensar no impacto que uma capa de revista ainda tem junto ao público na internet – público este que dificilmente vai comprar um exemplar. Quem explica?

Você tem alguma informação ou comentário para acrescentar a este conteúdo?