Dar crédito é reforçar a credibilidade do conteúdo

Padrão

Ventos de quase 100 km/h e um tsunami meteorológico atingiram o Sul de Santa Catarina, principalmente a cidade de Tubarão, neste domingo, causando prejuízos, acidentes e pelo menos uma morte registrada (uma criança após ser atingida por uma árvore). O fenômeno ocorreu no meio da tarde e pegou as redações já encaminhando os finalmentes do plantão dominical e precisaram de fotos e vídeos que os leitores publicaram nas redes sociais para ilustrar as reportagens nos sites e também a edição impressa desta segunda, no caso dos jornais.

Aí não, deputado

Uma cobertura como essa, que depende muito do conteúdo colaborativo, pede um trabalho refinado de curadoria. O risco de aparecer uma foto ou um vídeo “pirata” que não tem nada a ver com o fato em questão é sempre grande. Por isso, checar a origem, o perfil de quem publicou o conteúdo e dados como local e horário são premissas básicas que não podem deixar de ser seguidas, além do acompanhamento dos perfis oficiais de órgãos como a Defesa Civil.

O mesmo vale para dar o crédito de quem fez o conteúdo. Jamais faça como fez a equipe do deputado federal catarinense Décio Lima (PT), que fez um post no Facebook com oito fotos com o “crédito” Fotos: Internet. E além disso, para piorar a situação, as fotos não trazem nenhuma legenda, nenhuma informação sobre onde foram tiradas. Copiar e colar nunca é legal. Dar crédito, neste caso em especial, dá credibilidade ao conteúdo. A equipe do deputado checou? Será que são mesmo de ontem? Será que são mesmo de Santa Catarina?

tsunami meteorologico

Quando uma figura pública divulga um conteúdo são grandes as chances dele se espalhar entre leitores/eleitores/fãs e também acabar indo parar em sites de notícias e jornais. E caso o conteúdo não seja o que a figura pública diz ser, a imagem dela fica arranha e perde pontos como fonte. Certamente, a página do deputado no Facebook não foi a única a publicar conteúdo sem créditos. Cabe ao leitor ficar atento e os colegas de redação ainda mais cautelosos para não embarcar em canoas furadas.

Leia também: Ventos e “tsunami” em SC: Faltou crédito, mas também faltou checar a veracidade das imagens

Compartilhamentos

Em termos de audiência, um fato como os fenômenos climáticos deste domingo certamente contribui para reforçar os números de acessos sempre fracos do fim de semana. No Instragam do Primeiro Digital, eu havia registrado o grande número de compartilhamentos para a chamada da primeira reportagem publicada pelo Notícias do Dia (que publicou antes que o Diário Catarinense, seu principal concorrente). Quando comentei no Instagram, o total estava em pouco mais de 1.800 compartilhamentos. Agora, às 9h desta segunda, já havia passado dos 7 mil.

Saiba mais sobre os prejuízos causados pelo vento e pelo tsunami em Santa Catarina

Com ventos de até 97 km/h, Sul de Santa Catarina é atingido por tsunami meteorológico

Você tem alguma informação ou comentário para acrescentar a este conteúdo?