Mapa Mental 🤔 #3

Padrão

Papo vai, papo vem…

Sábado de Carnaval em Florianópolis foi dia de Pauta que Pariu, o bloco dos jornalistas, e por mais que a ideia fosse curtir a festa, inevitável não falar com os colegas em diferentes momentos sobre trabalho, mercado, tendências…

Pirotecnia

Numa conversa, um colega me questionou se não está aparecendo muito especialista em mídias sociais com fórmulas mágicas, mas sem experiência prática na área. E isso, na visão dele, tira espaço de profissionais mais qualificados, com mais tempo de mercado.

Concordei com ele. Os resultados para quem contrata pirotecnia baseada em plataformas e não em estratégias, conteúdos, foco no público-alvo, etc., acabam não sendo os esperados. Isso é ruim para todo mundo. Para quem trabalha do jeito certo também. Lembrei ao colega o que sempre repito: mídia social é vivência mais do que dominar uma determinada ferramenta. Propagar essa ideia é a cruzada de quem quer um mercado de qualidade.

Upgrade

Outro colega me revelou sua preocupação: “Estou muito desatualizado nesse negócio de digital”, me disse ele que é um assessor de imprensa de grande experiência e que está trabalhando em um empresa que se comunica bem com o mercado em que atua.

Fui sincero com ele. Disse que tem muita coisa acontecendo e que o upgrade de quem ainda não entrou no digital deveria ser grande, mas frequente. E não só na questão de ferramentas, mas também de técnicas de produção de conteúdo. Afinal, release é release, post é post.

Por outro lado, a experiência dele como assessor e a forma como a empresa já se comunica são fatores animadores porque a crise no jornalismo obriga a ter canais próprios cada vez mais eficientes. A relação do cliente é direto pelos blogs, sites e redes sociais. Ele se animou com esse cenário.

Hiperlocal

Por fim, trocando ideia com outro folião do Pauta que Pariu, chegamos a conclusão de sempre: foco no hiperlocal é essencial.

Ele me relatou uma experiência que acabou por causa da falta desse foco. Havia muito o que cobrir localmente, mas o veículo perdeu o passo em busca de números de audiência frios e não qualificados (que é o que se ganha quando o foco é bem definido geograficamente).

Quando os gestores se tocarem de verdade sobre a diferença que isso faz em termos editorias e comerciais, o cenário talvez mude e os veículos parem de errar o alvo como a maioria vem fazendo.

Overdose

A editoria “A deixa de seguir B” vai de vento em popa especialmente durante o Carnaval. O Google mostrou 3.330.000 de resultados de notícias com “deixa de seguir” no título. De fato, o conceito de notícia virou do avesso.

@ da vez

Espia lá a @lagartixadiaria, o jornal das redes sociais.

#ArquivoPrimeiroDigital

A imagem acima circulou nas redes sociais e mostra mais uma vez aquele vacilo de copiar e colar um texto de uma plataforma para outra. No caso do print, o texto veio do site para o jornal e ficou o pedido para clicar e compartilhar.

No Primeiro Digital, escrevi sobre os pecados na hora de publicar o texto do impresso no digital.

Mapa Mental é a coluna de notas e insights do Primeiro Digital. Sempre às terças, uma nova edição.

Todas as colunas.