quarta-feira, maio 29, 2024
HomeArtigosRabiscando sobre os hábitos de quem consome notícia

Rabiscando sobre os hábitos de quem consome notícia

Os dois últimos eventos que participe sobre jornalismo foram as aulas do ISCOM com os professores Jacques Mick (“Quem financia a mídia social?”) e Ana Brambilla (“Microjornalismo colaborativo”). Em comum, Mick e Ana enfatizaram a distância entre os veículos e o público. E é sobre isso que venho pensando, estudando, lendo e rabiscando. Essa distância pode ser encurtada de diversas maneiras, sempre com o veículo como o agente de mudança. Se não rever produtos, processos, de modelos e posturas, o público ficará cada vez mais longe.

Sobre esse assunto, na minha lista de leitura estão livros sobre design thinking, criatividade, modelo de startups, marketing digital, Beatles, Marvel e Star Wars. Mas meu foco no momento está em entender os hábitos de quem consome notícia. A ideia é simples como mostram os rabiscos abaixo (também leio sobre “Desenhando Negócios” e modelo Canvas). A fonte é o livro O Poder dos Hábitos, que dicas muito boas para entender hábitos pessoais e profissionais, mas também de negócios/organizações.

O autor trabalha com o conceito do “loop dos hábitos”. Os rabiscos que fiz tentam seguir essa linha. Fiz cinco loops: um para o leitor de mídia tradicional, um para o de jornal popular, um para o de Facebook, e dois para o de sites. O objetivo é visualizar o que motiva o consumo (a deixa), como é o consumo (a rotina) e o que o leitor ganham ao consumir (a recompensa). No meio do loop, o anseio (todos por informação, com exceção do jornal popular que coloquei o colecionável como anseio).

São rabiscos, pontos de partida para pensar mais a respeito, analisar cenários e encontrar possíveis alternativas.

No da mídia tradicional, o loop mostra o que talvez seja o indicativo do problema da distância com o público: o carimbo da marca não é mais tão importante e agora a informação chega por todos os lados até mesmo se o leitor não fizer qualquer tipo de movimento (ir até a banca, sentar em frente à TV, assinar o jornal ou a revista…).

No caso do jornalismo digital, coloquei dois loops que considero exemplares como os sites de review e de “como fazer”. Escolhi esses dois tipos de sites porque acredito que uma das recompensas que o leitor possa querer seja a ajuda (informação) para experimentar, fazer ele mesmo.

Que outros loops podemos criar para o jornalismo digital tendo a notícia como foco? Mais deixas para motivar o leitor? Outras rotinas? Ou recompensas melhores e mais atrativas? Rabisque nos comentários.

Seguem meus rabiscos.

Loop de hábito do público da mídia tradicional

14039902_10153659962611345_4987252606591518960_n
Deixa = carimbo da marca do veículo
Rotina = ir até a mídia (compra o jornal na banca ou fica em frente à TV e rádio)
Recompensa = fica sabendo

Loop de hábito do leitor de jornal popular

14051831_10153659962736345_4884694622926047080_n
Deixa = preço
Rotina = coleciona e cola selos na cartela
Recompensa = troca e ganha os brindes

Loop de hábito do usuário de redes sociais

14045615_10153659963076345_5912611377867175063_n
Deixa = acesso grátis
Rotina = acessa Facebook diariamente
Recompensa = fica sabendo e ganha status na rede que possui

Loop de hábito do leitor digital

Deixa = Review, referências Rotina = acesso site / aplicativo Recompensa = experimentar
Deixa = Review, referências
Rotina = acesso site / aplicativo
Recompensa = experimentar

Loop de hábito do leitor digital

hábitos
Deixa = como fazer
Rotina = acesso site / aplicativo
Recompensa = fazer, experimentar
Alexandre Gonçalveshttp://www.primeirodigital.com.br/alexandregoncalves
Jornalista, especializado em produção e gestão de conteúdo digital (portais, sites, blogs, e-books, redes sociais e e-mails) e na criação e coordenação de produtos digitais, atuando no Jornalismo Digital e no Marketing de Conteúdo.
RELATED ARTICLES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisment -
Google search engine

Most Popular

Recent Comments

Vera Lucia Pires Goulart on O suicídio nas redes sociais
Bruno Allemand on O suicídio nas redes sociais
Fábio Célio Ramos on O suicídio nas redes sociais
vivi bevilacqua on O suicídio nas redes sociais
Affonso Estrella on O suicídio nas redes sociais
Luís Meneghim on O suicídio nas redes sociais