Uso do Periscope por atleta brasileiro reforça cobertura desastrada do Pan pela TV

Padrão

por ALEXANDRE GONÇALVES

Os jogos Pan-Americanos do Canadá terminam neste domingo com uma das coberturas de TV mais micadas da história. Muitos jogos de modalidades populares ficaram sem transmissão ao vivo pela geradora oficial da competição. E hoje, a cobertura subiu no pódio da desorganização graças à atitude de um atleta brasileiro que transmitiu a própria participação na final do boliche via Periscope.

A notícia está no site da Folha de S.Paulo.

“O atleta brasileiro Marcelo Suartz transmitiu ao vivo a final modalidade em que conquistou a medalha de ouro. Suartz utilizou um aplicativo do Twitter chamado Periscope, que permite a transmissão de imagens em tempo real, para mostrar a vitória sobre o venezuelano Amleto Monacelli.”

Ok, boliche no Brasil está mais para entretenimento para juntar a turma no sábado à noite do que para esporte. Mas a atitude de Stuartz revela mais uma possibilidade para o Periscope e abre caminho para reforçar o “faça você mesmo” na internet ou, como dizem os especialistas, o “na era digital todos somos meio”.

Transmissão ao vivo na internet não chega a ser novidade. O próprio Twitter, dono do Periscope, foi usado durante muito tempo para vivos via Twitcam, além de outros sites de streaming. A diferença é que o Periscope oferece uma dinâmica e uma agilidade que casam bem com o ritmo com que se consome conteúdo pela internet.

Ouro duplo para nosso atleta do boliche.

Sobre a cobertura do Pan pela TV:

Um terço de esportes do Pan tem transmissão ao vivo. Record e Sportv sofrem

Veja também:

Subir Periscope

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *