Vídeo: Repassar fake news é coisa de mazanza!

Padrão

por ALEXANDRE GONÇALVES

O Zeca bate na trave quando tenta explicar o significado de uma montoeira de “ismos”. Mas quando o Maneca quer entender o que é fake news, o Zeca é tão certeiro quanto os olheiros da pesca da tainha aqui em Florianópolis. Explicação mais clara sobre o que são notícias falsas, impossível, não tem? Ispia no vídeo do Dezarranjo Ilhéu.

Sobre o Dezarranjo Ilhéu

Dezarranjo Ilhéu é uma loja especializada em produtos (ilustrações, caneças, camisetas, quadros…) que valorizam a cultura e os costumes de Florianópolis, a cultura do manezinho da Ilha com suas expressões típicas – como o mazanza usado no título deste post – e seu sotaque inconfundível.

As animações publicadas no YouTube alcançam grande sucesso nas redes sociais e ajudaram a tornar o Dezarranjo Ilhéu também uma referência no humor a partir de situações comuns no dia a dia de quem é de Floripa (como é o meu caso).

Conheça a loja (e compre!): www.dezarranjoilheu.com.br

Assista aos vídeos no YouTube.


P.S.: Mazanza quer dizer tanso.

P.S.: Tanso quer dizer tolo.

 

2 comentários sobre “Vídeo: Repassar fake news é coisa de mazanza!

  1. Olá, bom dia! O Dezarranjo Ilhéu nasceu de uma bricadeira nas redes sociais, onde através de uma página, era mostrado de de forma divertida, situações do cotidiano do manezinho da ilha por meio de ilustrações e expressoes. Tão logo, essas ilustrações começaram a serem aplicadas em produtos e comercializados na feirinha de Santo Antonio de Lisboa e loja virtual. Logo mais vieram os videos com os personagens. Ainda que produzidos de forma simples, ajudaram ainda mais a propagar a cultura ilhoa e consequentemente a marca Dezarranjo tambem. Hoje, as redes sociais somam mais de 200 mil seguidores. Há tambem uma loja temática no aeroporto de Florianópolis com mais de 500 produtos em seu mix. A ideia continua firme, resgatar e divulgar a cultura do manezinho da ilha na sua forma mais raiz, através do humor e de produtos de qualidade.

  2. JUCA DESCHAMPS

    Um amigo de Blumenau, publicitário, cartunista, colunista e de uma verve espetacular, gostaria de saber um pouco mais da história do “Dezarranjo” e seus criadores…
    E eu também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *