Site de Florianópolis distribui conteúdo pelo WhatsApp desde 2014

Padrão


Por ALEXANDRE GONÇALVES

A cobertura do New York Times pelo WhatsApp da viagem do Papa Francisco  pela América do Sul está chamando a atenção de muita gente, mas o uso do aplicativo de mensagem para distribuição de informações não chega a ser novidade. Pelo menos não para mais de 3 mil torcedores do time do Avaí, de Florianópolis.

Desde o ano passado, o site Sou Avaiano, que completa 15 anos em 2015conta com um serviço de distribuição de diversos tipos de conteúdo sobre o time usando o WhatsApp. “Confesso que fiquei orgulhoso a ler e ver que idealizei algo antes que New York Times e todos outros”, diz Esteves Júnior, dono do Sou Avaiano e idealizador do serviço.

Ele conta que passou outubro e novembro de 2014 estudando como o WhatsApp funciona como um todo e todas as suas peculiaridades. “Tinha que haver algo que pudesse ser feito para ir na contramão”, diz. “O que as empresas de comunicação usam é receber mensagens de leitores/ouvintes”.

Se na cobertura feita pelo New York Times, o usuário envia a palavra “Pope” para passar a receber automaticamente as notícias, Esteves opta por fazer isso manualmente no Sou Avaiano. O torcedor adiciona o número do serviço (48 9822 1342) em sua lista de contatos e enviar uma mensagem com seu nome.

Para o envio das informações, Esteves não usa nem a opção Grupos nem a Transmissão (esta com limitação para envio até 256 contatos). “Criei uma sistemática que fez o WhatsApp do SouAvaiano funcionar como um relógio e passou a ser não somente um canal de envio de mensagem, mas também de recebimento de denúncia, sugestão, reclamações, e para tirar dúvidas do torcedor avaiano”, conta.

Em sua conta no Facebook, Esteves Júnior escreveu uma mensagem a respeito do serviço quando soube da iniciativa do New York Times.

Aqui está um case inovador e de sucesso. Por um bom tempo estudei bastante como o Whatsapp funcionava e todas as suas possibilidades. Depois desse estudo, lancei ao final de 2014 o Whatsapp do SouAvaiano e dias atrás, ele ultrapassou a marca de 3.000 cadastrados e, somente em 2015, de 1.300.000 mensagens entregues, entre textos, vídeos, imagens e áudios.

Até hoje eu desconhecia quem utilizava o Whatsapp dessa forma: um canal de informação. Li em uma matéria que o New York Times está usando desta mesma forma para a cobertura da atual visita do Papa pela América do Sul. Tirando o New York Times e o SouAvaiano, o Whatsapp é usado pelos meios de comunicação e demais empresas apenas como forma de receber das pessoas suas opinões, reclamações, sugestões, etc.

Quando idealizei esse novo canal de comunicação, confesso que não imaginava que fosse chegar nem na metade desses números e que a satisfação fosse com um percentual altíssimo. Todos os mais de 3.000 usuários pediram para se cadastrar fornecendo os seus números de celulares, o que hoje em dia é algo difícil de se imaginar por causa dos spams e/ou mensagens indevidas.

No final do ano passado quando apresentei o Whatsapp do SouAvaiano (ainda estava no início) em uma palestra para alunos de Publicidade e Propaganda da Universidade Estácio de Sá, a convite do Diego Moreau, coordenador do curso, pela reação de boa parte deles, percebi que eu estava indo pelo caminho certo.

Dá trabalho? Sim, muito! Pois não é apenas receber a solicitação de participação e enviar mensagens. Tem muita coisa envolvida. Planejamento, criação, redação, bom senso, (muita) paciência, respeito, criatividade, ouvidoria, e por aí vai.

Como é específico sobre o Avaí Futebol Clube, não envolve apenas horários comerciais. O trabalho acontece todos os dias, independente se for de dia ou a noite e se é final de semana ou feriado. É difícil não ter um dia sem entregar algum tipo de mensagem.

Escrevi esse texto apenas para compartilhar que o meu status neste momento é: Muito feliz!

O site Sou Avaiano está sendo reformulado no momento. Mais informações podem ser obtidas na página do site no Facebook.

Leia mais sobre o serviço do New York Times.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *