Outro legado de Chadwick Boseman

Padrão

por ALEXANDRE GONÇALVES

A morte do ator Chadwick Boseman, o Pantera Negra do Universo Cinematográfico da Marvel, aos 43 anos, após sua luta privada contra um câncer de cólon, pegou a todos de surpresa e causou grande comoção desde seu anúncio, na noite de sexta-feira.

A interpretação de Boseman do maior herói negro dos quadrinhos se tornou icônica, o filme bateu recorde de bilheteira e, o mais importante, a representatividade de seu Pantera Negra extrapolou a tela do cinema para servir de inspiração e afirmação para crianças, jovens e adultos em todo o mundo.

Prova da relevância do trabalho do ator, o tweet postado no perfil de Boseman com uma foto dele e o comunicado sobre sua morte é o mais curtido na história do Twitter. E curtido, claro, na falta de outras opções para os usuários demostrarem seus sentimentos no microblog, deve ser entendido como gesto de solidariedade e pêsames com a notícia – um tributo mais do que merecido.

Chutes e conclusões precipitadas

Mas, se de um lado temos a comoção, por outro, a morte de Boseman revelou que chutes e conclusões precipitadas de público e sites continuam contribuindo para a desinformação no meio digital.

Por decisão do ator, a luta contra o câncer não ocorreu em público. Tratamentos de quimioterapia e cirurgias ocorreram como devem ocorrer, de modo pessoal, longe das redes sociais. É até idiota dizer que Boseman manteve segredo sobre o assunto. Precisava ser diferente?

O fato é que, quando postou um vídeo em seu Instagram,em abril deste ano, para celebrar Jackie Robinson, astro do beisebol americano interpretado por Boseman, público e sites passaram a especular sobre a condição física do ator, visivelmente muito mais magro.

Nas redes sociais, os fãs, sempre eles, publicaram comentários do tipo “Alguém mais em choque com a magreza dele?” e “Qual dieta é essa que você está seguindo?”, como registrou o site da revista Monet no dia da publicação do vídeo. Respeito passou longe, mas como todo mundo nas redes sociais é meio

Mas pior, muito pior, fez o site Legado de Herói, que, tendo como fonte um site de Mumbai, cravou em manchete: Revelado o motivo da perda de peso repentina de Chadwick Boseman, o Pantera Negra.

A resposta, obviamente, não era a causa verdadeira, mas sim a suposta preparação do ator para viver um samurai africado no filme Yasuke. E o mais incrível: a afirmação tinha como base uma outra imagem, provavelmente de um paparazzo, mostrando Boseman magro e de bengala saindo de um prédio.

Segundo o site, “o fato do ator ter sido visto usando uma bengala e balançando ela no ar, como quem estaria praticando movimentos para cenas de ação” confirmaria o motivo para a perda de peso. E o site completa dizendo que é comum atores e atrizes recorrerem à perda de peso.

Caça-clique como padrão

Acompanho canais e sites de cultura pop e, infelizmente, a prática do caça-clique é frequente e irritante. Tem muita fantasia, muito desejo de fã e pouco jornalismo – com raríssimas exceções. E a pandemia, com a indústria do cinema estacionada, tem contribuído para o crescimento da prática. Falta assunto, sobra rumor. Daí ara a irresponsabilidade e a falta de respeito é um passo. Perde o público e todo o segmento.

Chadwick Boseman manteve firme sua opção pela privacidade até como forma de ser assunto pelo seu trabalho e não pela sua vida pessoal. Era ator e não celebridade. Outro legado do eterno Pantera Negra.

#WakandaForever

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *