Novo blog no Mapa dos Jornalistas-Blogueiros

Padrão

O Primeiro Digital continua coletando links de blogs criados e atualizados por jornalistas. Hoje temos um novo blog na lista:  Rifferama, do jornalista Daniel Silva, que é repórter de esportes do Notícias do Dia, de Florianópolis, mas que no blog escreve sobre música. Daniel fala sobre música em geral, mas dá um destaque muito especial para os artistas de Santa Catarina.

Acesse: www.ricmais.com.br/sc/rifferama

Screenshot_3

Veja mais blogs e saiba como participar do Mapa dos Jornalistas-Blogueiros

Entre boatos e robôs, um jornalismo necessário

Link

Paralelamente ao mar de desinformações que povoa a internet, surgem também iniciativas que monitoram boatos e desmentem os hoax. Sites como E-farsas e Boatos.org compilam teorias conspiratórias e apontam para notícias antigas que voltam a circular como se fossem atuais. Até mesmo o Senado Federal – também um alvo de rumores, como a suposta aprovação da “bolsa prostituição” – alertou para o risco e preparou um guia para identificar mentiras.

Leia o artigo completo de Dairan Paul
Mestrando no POSJOR/UFSC e pesquisador do objETHOS
.

Uma resposta sobre blogs

Padrão

Dos arquivos do Coluna Extra, meu primeiro blog, encerrado em maio de 2014 após dez anos, reproduzo uma resposta minha para uma reportagem sobre credibilidade dos blogs publicada na edição de outubro de 2007 da Revista Making Of (que hoje é um site aqui de Florianópolis). O Orkut era a nossa rede social na época e os blogs ainda tinha “cara de novidade” e uma relevância que foi reduzido com o avanço de Twitter e, principalmente, do Facebook, mas que parece ter recuperando espaço tanto no jornalismo (principalmente nas áreas da política, do esporte e do entretenimento) quanto no marketing (inbound marketing, marketing de conteúdo…). Acredito que minha resposta de quase oito anos atrás seja atual e ainda faça sentido :). Ou não?

Que conselho você daria a um blogger para que ele tenha credibilidade? Ou o que você considera fundamental para dar credibilidade a esse tipo de página na internet?

Alexandre Gonçalves – Essa é uma questão curiosa porque credibilidade na blogosfera pode ter múltiplas aplicações. Existem blogs que têm credibilidade porque apostam na polêmica, por exemplo. Expressam opiniões que muitas vezes beiram a intolerância, mas encontram eco nos leitores que deixam comentários no mesmo nível. Outros blogs têm credibilidade porque usam diversas possibilidades para rentabilizar o blog. E é claro que há o caso de blogueiros que conquistam credibilidade pela qualidade do que publicam. E esses ainda são a grande maioria e incluem blogs profissionais, como os especializados no Google, ou blogs clássicos, onde o blogueiro transforma o que acontece no seu cotidiano em posts.

No meu caso, eu acredito que a credibilidade do Coluna Extra venha da minha proposta de encarar o blog com profissionalismo e de ser produtor e roteador de conteúdo. Ou seja, eu publico textos e entrevistas produzidas por mim exclusivamente para o blog, mas também faço o “meio de campo”, eventualmente com minha opinião, sobre algo que li em outros blogs e sites que considero do interesse dos leitores do Coluna. Somado a isso, mantenho uma atualização freqüente e publico muitos “posts de serviços” (com dicas de novos sites, novas funções de serviços).

Publicado originalmente no Coluna Extra em 10 de outubro de 2007

3d-text-1-1244484-639x570

Os 10 posts mais acessados do Primeiro Digital

Padrão

Esta é a lista dos 10 posts mais acessados no Primeiro Digital desde que o blog entrou no ar, em abril.

O suicídio nas redes sociais

Jornal publica chamada para digital em vez de reportagem sobre jogo e leitores questionam decisão

“Quem não der o passo para frente, vai ficar para trás”

VÍDEO – Sobre a morte de Cristiano Araújo: O exagero do AutoEsporte e A gafe do Portal Imprensa

Uma outra dor de cabeça: a “chupadoria” de conteúdo

Pesquisa do IBGE mostra crescimento no acesso à internet pelo celular entre os brasileiros

Abertas inscrições para curso gratuito sobre técnicas de jornalismo de dados

Mapa dos jornalistas-blogueiros

Rede social provoca rachaduras?

“Ouça aqui”, diz jornal em chamada de capa

Acompanhe as atualizações do Primeiro Digital assinando a newsletter, curtindo a página no Facebook ou seguindo o @PrimeiroDigital no Twitter.

Como foi a cobertura do 11 de setembro de 2001 na internet, por Rosana Hermann

Padrão

Em seu Facebook, a blogueira, roteirista e comentarista da Record News, Rosana Hermann, relembra como os atentados do 11 de setembro de 2001 foram noticiados na internet. “Eu, cobria tudo alucinadamente no meu blog, Querido Leitor, que tenho até hoje”, escreve. “Se você ama internet, viveu esse dia e quer lembrar qual era a tecnologia de comunicação da época, antes das redes sociais, antes de aplicativos, antes de tanta coisa, veja todo o registro desse dia, coberto ‘ao vivo’ no blog”.

Leia o post completo no arquivo blog Querido Leitor.

(Arquivo em PDF)

Como seria a cobertura de um evento como os atentados nos dias de hoje com Twitter, Facebook, WhatsApp, Periscope?

Confira os primeiros blogs do Mapa dos Jornalistas-Blogueiros

Padrão

O Primeiro Digital está reunindo em uma lista de blogs que tenham jornalistas como seus autores. A primeira leva com os primeiros blogs do Mapa dos Jornalistas-Blogueiros do Primeiro Digital você confere abaixo. E se você é jornalista e tem um blog (próprio ou dentro de portais), fica o convite para você enviar seus dados preenchendo o formulário no post Mapa dos Jornalistas-Blogueiros.

Acesse, conheça, comente e compartilhe os blogs abaixo.

Continue lendo

No tempo em que não havia Instagram e WhatsApp e o Facebook merecia apenas uma citação (o BuzzFeed nem isso)

Imagem
Disponível na Saraiva

Dois livros que valem muito a leitura e a releitura. Ambos trazem entrevistas com nomes relevantes da blogosfera (Blogging Heroes) e dos negócios digitais (Web 2.0 Heroes). Além de servir de inspiração e fonte de ideias, os livros mostram a rapidez da web na prática. Foram lançados em 2008 quando não havia Instagram nem WhatsApp, não havia a onda de aplicativos como a que temos hoje, o Facebook merecia apenas uma citação e não um capítulo exclusivo e o BuzzFeed estava longe de ser o que é.

 Compre “Web 2.0 heroes” e “Blogging heroes” na Livraria Cultura