Mapa Mental 🤔 #28 | Globo entra para valer no mercado de podcasts

Padrão

por ALEXANDRE GONÇALVES

Nesta edição do Mapa Mental:

– Globo entra para valer no mercado de podcasts
– Os motivos da Globo para investir em podcasts
– Chamada para podcasts no SporTV
Experiências compartilhadas
– O “amigo internauta” existe ou virou lenda?
Notícias da TV comemora números
РA escolha digital do Hora de Santa Catarina: Tiro no p̩?

Globo entra para valer no mercado de podcasts

A estreia do podcast O Assunto, da jornalista Renata Lo Prete, e de mais oito programas no formato dentro do portal G1, mereceu até reportagem especial na edição desta segunda-feira (26) do Jornal Nacional. Os âncoras William Bonner e Renata  Vasconcellos demonstraram entusiasmo e foram didáticos ao apresentar não só o novo produto, mas também o formato podcast. 

E assim seguiu a reportagem, um beabá que pode ser considerado a entrada oficial da Globo no mercado de podcasts e também um marco do podcast no Brasil. Afinal, não é todo dia que o principal telejornal da principal emissora e do principal grupo de mídia do país dedica quase 7min para falar de um formato de conteúdo que não é novo, mas está passando por sua fase de maior visibilidade e interesse. 

Claro, rolou uma forçada de mão na reportagem para valorizar os novos produtos (clássico “quinhentão”), mas equilibrou o tom ao mostrar que independentemente das novidades do G1 já existe público de podcast no Brasil.

O curioso é que o podcast não é novidade dentro dos portais digitais do Grupo Globo (nem no G1, nem no GloboEsporte.com e nem em O Globo). Desde 2018, a Globo vem lançando podcasts que juntos já foram ouvidos por mais de 500 mil pessoas, segundo a emissora.

Assista à reportagem aqui.

Os motivos da Globo para investir em podcasts

O que está motivando a Globo a investir em podcasts e dar a dimensão que deu com a reportagem no JN?

Na minha opinião:

  • O desempenho de concorrentes como a Folha, por exemplo, com seu Café da Manhã, e a Globo não pode ficar de fora nem para trás (só não é legal quando não quer uma fatia, mas sim todo o bolo). Aliás, a proposta de O Assunto lembra muito o podcast da Folha, o mais ouvido no Spotify Brasil (pauta no principal assunto dia com a participação de jornalistas e especialistas).  
  • A Globo tem certeza (com base em pesquisas e na análise também do cenário internacional) de que o podcast tende a se consolidar como formato digital e como fonte de um dinheiro novo. A julgar por todo barulho que vem sendo feito em torno dos podcasts deve estar surgindo uma demanda forte de anunciantes que querem surfar na onda também.

De qualquer modo, a entrada da Globo para valer no mercado de podcasts pode ajudar a fortalecer o formato. E isso pode ser um argumento que pode ajudar quem já está há mais tempo no mercado e também as iniciativas independentes e de nicho. Além, é claro, de inspirar outros grupos de mídia para que também produzam seus podcasts.

Pode chamar de conversa

“É um podcast, mas pode chamar de conversa com jornalistas, estudiosos e personagens da notícia para aprofundar um tema por dia. Informação de qualidade, num formato que cabe na vida. É o meu compromisso e da equipe do G1”.

Mensagem da jornalista Renata Lo Prete no seu Twitter sobre o lançamento do podcast diário O Assunto.

Os outros podcasts lançados pelo G1 nesta semana são Isso é Fantástico, Hub GloboNews, Bem Estar, Papo de Política, Desenrola, Rio, Resumão, GloboNews Internacional, O Tema É.

Todos podem ser ouvidos em g1.com/podcasts.

Chamada para podcasts no SporTV

Enquanto a chegada dos podcasts do G1 ganha até reportagem especial no Jornal Nacional, no SporTV está sendo veiculada uma chamada nos intervalos sobre os podcasts do GloboEsporte.com.

A narração é de Cleber Machado, que apresenta o Hoje Sim. É mais uma prova de que a Globo não está para brincadeira e está realmente interessada em expandir sua atuação por meio de podcasts.

Como fica a CBN?

No movimento da Globo de investir em podcasts via G1 e GloboEsporte.com, fica a pulga atrás da orelha: de que forma isso pode impactar nas emissoras de rádio do grupo, especialmente a rede CBN? 

Comentaristas como Natuza Nery e Andrea Sadi, por exemplo, que estarão no podcast Papo de Política, ao lado de Julia Dualibi (GloboNews) e Maju Coutinho, participam do Jornal da CBN às segundas e sextas, respectivamente. Vão continuar? Os podcasts do G1, principalmente, não concorrem com a CBN? Não vão esvaziar a programação?

Experiências compartilhadas

O IJnet (Rede Internacional de Jornalistas) reuniu relatos de podcasters de diferentes países com dicas técnicas (gravadores, softwares, microfones) e sobre fluxo de produção de programas em áudio para internet. Confira aqui.

E se ainda não viu, estou compartilhando aqui no Primeiro Digital o processo de criação do meu podcast.

O “amigo internauta” existe ou virou lenda?

Via Polyana Ferrari no Instagram.

Notícias da TV comemora números

O jornalista Daniel Kastro, com passagem pela Folha de S.Paulo e R7 Record, entre outros veículos, está comemorando os números que o seu site, o Notícias da TV: 25 milhões de leitores e um dos cinco mais acessados no segmento jornalismo de entretenimento. O site praticamente dobrou sua audiência em um ano. 

Além da presença de Kastro no projeto, o Notícias da TV se diferencia dos outros sites da área por produzir conteúdos exclusivos e não ficar só copiando e colando informação alheia nem só reproduzir releases e loops eternos do que é publicado em redes sociais. 

Veja números de audiência do Notícias da TV. Lançado em setembro de 2013, o site está sob o guarda-chuva do UOL.

A escolha digital do Hora de Santa Catarina: Tiro no pé?

Sempre considerei o jornal Hora de Santa Catarina um bom exemplo de produto que entendeu o loop do hábito ao oferecer recompensas para seus leitores por meio da coleção de selos para a troca por brindes (utilidades domésticas na maioria das vezes). 

O interesse pelo colecionável não exclui a leitura. Tomo o exemplo dos meus pais. Compravam a edição do Hora todos os dias para não perder os selos, mas para ler as colunas e as notícias também. 

Escrevi compravam porque o jornal do Grupo NSC decidiu mudar o esquema de selos. Ou melhor, acabaram com os selos no jornal impresso e agora os leitores têm de comprar os selos de forma antecipada pelo site ou pelo aplicativo do jornal. Como fonte de receita, uma ótima sacada. É uma renda antecipada. 

Mas perguntem para a minha mãe se ela (1) prefere ir até o mercadinho perto de casa e comprar a edição do dia por R$ 1,25, recortar o selo e colar na cartela ou (2) comprar pela internet como se estivesse acessando a Americanas.com. Pelas reclamações que ouvi dela, que não é digital, o Hora perdeu uma fã. 

 

Mapa Mental é a coluna de notas e insights do Primeiro Digital. Sempre às terças uma nova edição.

Todas as colunas.


Receba as atualizações por e-mail. Saiba como.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *