É, 2019 é o ano é do Podcast

Padrão

Pod ser a era de ouro. Ou pod ser a descoberta tardia de um formato. Ou pod ser também um atrativo capaz de atrair um novo público. Mas o fato é que tudo indica que 2019 é de fato o ano do PODCAST. E os dados da pesquisa Ibope, divulgada pela revista Piauí, reforça essa tendência.

Veja um resumo dos principais dados da pesquisa, divulgada no último dia 11 de maio durante a Maratona Piauí CBN de Podcast. “O que a pesquisa mostra é o potencial dos podcasts. E, se nos basearmos na tendência de outros países, é um grande potencial”, disse a CEO do Ibope Inteligência, Marcia Cavallari. Foram ouvidas duas mil pessoas entre 15 e 18 de janeiro.

🎙️ Dos cerca de 120 milhões de internautas, 40% já ouviram podcast – são 50 milhões de pessoas que já escutaram algum programa de áudio pela internet.

🎙️ Entre os homens, 45% já ouviram podcast ao menos uma vez; entre as mulheres, o índice cai para 36%.

🎙️ 47% dos jovens entrevistados já ouviram podcast.

🎙️ 19% dos internautas são consumidores frequentes de podcasts, de três ou mais vezes por semana. Mas ainda há 43% que ouve, mas sem regularidade.

🎙️ Os jovens são os ouvintes mais assíduos: 47% escuta programas de áudio ao menos uma vez por semana, enquanto 27% ouvem três vezes ou mais.

🎙️ Sobre os hábitos de consumo de podcasts, a maioria ouve, como ocorre com o rádio, enquanto realiza outras atividades (estuda, faxina, cozinha, malha…) ou está em deslocamento.

🎙️ Em termos de conteúdo, a pesquisa mostra preferência por episódios curtos e objetivos.

🎙️ O celular é o equipamento mais usado pelos brasileiros para ouvir podcasts (75%).

🎙️ O YouTube é a plataforma mais usa para ouvir podcast (42%), seguido pelo Spotify (32%)

E quantos não sabem nem o que é podcast?

A pesquisa Ibope mostrou que 32% dos internautas, 38,4 milhões de pessoas,  nem sabem o que é um podcast. Pelo ritmo com que o podcast vem ganhando atenção nem dá para considerar um dado desanimador.

Acredito que esse potencial pod ser considerado um  público em potencial para aderir ao formato, como ocorre frequentemente na internet. Ou seja, basta um gatilho para gerar interesse e adesão.  Foi o que se viu nos últimos dias com muitas pessoas baixando o Snapchat a essa altura do campeonato por causa de um filtro engraçadinho.

Confira os dados completos no site da Piauí.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *