Frio e neve na pauta

Padrão

A temperatura caiu bastante em Santa Catarina nos últimos dias e ontem já tivemos registro de neve na cidade de São Joaquim, no Planalto Serrano. E como é praticamente uma exclusividade catarinense (nosso “snowfall”), o assunto vira pauta em todas as mídias.

No meio digital, é festa. É a oportunidade para sites como o São Joaquim Online, iniciativa independente que tem se destacado com seu perfil hiperlocal e que nesses momentos até sai na frente de muitos portais. O site já passou por algumas reformulações e atualmente seu layout funciona melhor no smartphone do que no desktop. Vale a visita: www.saojoaquimonline.com.br.

A chegada da neve também é uma oportunidade dos sites usarem suas ferramentas de colaboração. E isso funciona bem nestas situações. Em 2013, tivemos uma “friaca” história em Santa Catarina e nevou em mais de 100 cidades – até em cidades próximas do litoral, como Palhoça, na Grande Florianópolis. Estava no Grupo RIC na época e montamos mais de uma galeria de fotos de leitores de todo o estado. Muitas foram parar no livro que o Notícias do Dia lançou para marcar o momento histórico. O conteúdo ainda está disponível no portal.

Além de São Joaquim, costuma nevar também nas cidades como Urupema e Urubici, onde a sensação térmica fica muito, mas muito abaixo de zero. O Diário Catarinense está fazendo uma cobertura interessante com o repórter Erich Casagrande. Ele está na região e além textos, tem produzido vídeos que dão a noção do quanto está gelado por lá.

Assista um dos vídeos e confira a cobertura no www.diario.com.br.

Reportagem destaca projetos na área de jornalismo digital

Vídeo

O Metrópolis, tradicional programa da TV Cultura de São Paulo exibiu uma reportagem especial sobre o mercado de jornalismo digital, tendo como entrevistados os empreendedores dos projetos Fluxo, Calle2 e Nexo (este último já citado no Primeiro Digital). A reportagem foca no conteúdo e na forma e na rotina de produção. Faltou dizer como se sustentam. Mas está valendo. Mais uma oportunidade conhecer, ao menos, novas propostas editoriais.

Dica do Interatores.

Tem novidade no jornalismo digital de Blumenau

Padrão

Depois de deixar o Grupo RIC, o jornalista Alexandre Gonçalves lança na próxima segunda-feira (28) sua nova plataforma digital. Não, não estou falando de mim. O Alexandre Gonçalves que também deixou a RIC é outro. Estou falando do meu xará e amigo Alexandre Gonçalves de Blumenau, que encerrou recentemente seu vínculo com o Grupo RIC depois de quase 11 anos como gerente de jornalismo na RICTV Record da terra da Oktoberfest e agora está retomando o Informe Blumenau, seu antigo endereço na internet, mas com uma proposta diferente, mais ampla.

Boa parte do que vem por aí no novo Informe Blumenau é detalhada no vídeo do programa piloto que Gonçalves e o jornalista Fabrício Theophilo, que também participa do novo projeto, divulgaram nesta quarta-feira (23). A proposta é ser referência no conteúdo regional, independente, abrindo espaço também para a participação do público em geral e de personalidades da região convidadas para publicação de artigos. Na gestão comercial, a estratégia engloba a produção de vídeos patrocinados de empresas e entidades, como detalha Gonçalves no vídeo.

Há duas semanas, conversei com o Gonçalves aqui em Florianópolis sobre o projeto e gostei muito da proposta. Ele é um jornalista renomado em Blumenau, talvez o de maior credibilidade na cidade, e isto certamente irá contribuir para o sucesso do Informe Blumenau. Some-se a isso uma visão clara dos caminhos que podem ser tomados para viabilizar o projeto, com os pés no chão e com disposição para inovar, fazer diferente. Já estou contribuindo com o projeto prestando uma consultoria informal, mas também terei um espaço lá para escrever sobre jornalismo digital.

Sorte para o xará e para o Theophilo e que seja muito bem-vinda esta nova empreitada digital encampada por jornalistas.

Assista ao piloto e favorite o www.informeblumenau.com no seu navegador.

O outro Alexandre Gonçalves

A coincidência de nomes e de profissão entre a gente foi uma piada recorrente no período em que estive na RIC (julho de 2011 a março de 2015). Tipíca piada de standup, boa para quebrar o gelo nas apresentações que fiz em encontros regionais ou outros eventos do Grupo (só perdia para aquela que eu dizia que era da internet, mas não configurava e-mail). Mas muito antes, antes mesmo dos dois Alexandres se conhecerem pessoalmente, já rolava a confusão.

Escrevi sobre isso no Coluna Extra, em 2008:

Observando os dados do contador de acessos do blog, reparei que nos últimos dias um bom número de internautas chegou até o Coluna Extra procurando por “alexandre gonçalves” no Google (o link do Coluna Extra aparece em primeiro lugar). E como os dados indicam que os que fizeram essa busca são de Blumenau, cheguei a seguinte conclusão: o “alexandre gonçalves” que eles procuram no Google não sou eu, mas sim o Alexandre Gonçalves, também jornalista, coordenador de jornalismo e apresentador da RIC/Record de Blumenau.

Não é a primeira vez que me confundem com o xará de Blumenau: certa vez, um editor de um jornal aqui da capital ligou para a editora Empreendedor, onde eu trabalhava, querendo falar “comigo”. E depois que eu disse alô, ele já entrou naquele tom amigão. “E aí, há quanto tempo estás aqui em Floripa?”, perguntou. No que falei, ele percebeu a gafe e pediu desculpas.

Agora, a “confusão”, que trouxe visitantes para o Coluna Extra, tem mais um ingrediente: o Alexandre Gonçalves de Blumenau também tem um blog. Por isso, se você entrou aqui procurando pelo blog do apresentador da RIC/Record, o blog dele não é o Coluna Extra. O dele é o Informe Blumenau e o link é http://informeblumenau.blogspot.com. E se durante a visita ao Coluna Extra, ainda que involuntária, gostou do que viu, este Alexandre Gonçalves faz o convite: volte sempre.

Popular grava vídeo de tragédia na horizontal no celular e revoluciona o jornalismo #humor

Link

Do site de humor Laranjas, que hoje (21) completa oito anos, tirando onda com um dos “calos” da participação do internauta”: o envio de vídeos gravados na vertical:

O jornalismo brasileiro atingiu um novo patamar de qualidade durante o fim de semana, dando fôlego àqueles que ainda acreditam em sua sobrevida. A responsável pela evolução é a comerciante Nice Fragista, de 52 anos, moradora da cidade de Cornélio Procópio, no interior do Paraná. Tudo aconteceu na manhã de sábado, por volta das 11h30, quando, preparando-se para fechar sua loja de modas, ela ouviu barulho de tiros e percebeu um corre-corre nas proximidades da igreja matriz.

Leia conteúdo completo no site do Laranjas.

Pesquisadora analisa viralização do vídeo de fãs do Foo Fighters

Link

A pesquisadora Raquel Recuero, que há muito tempo produz análises interessantes sobre o uso de redes sociais, fez um amplo estudo sobre o vídeo do projeto Rockin’1000, que reuniu mil artistas italianos que juntos tocaram “Learn to fly”, do Foo Fighters. O objetivo era chamar a atenção e garantir que a cidade de Cesena esteja na próxima turnê europeia da banda. Funcionou, muito pela viralização do vídeo que já passou dos 17 milhões de visualizações em pouco mais de quatro dias (foi publicado ontem, dia 30 de julho).

Escreve a Raquel:

“A conta do projeto, no Twitter, conta com menos de dois mil seguidores. A conta do youtube, pouco mais de dez mil subscribers (a maioria pós divulgação do vídeo). Mesmo no Facebook, a página do evento conta com menos de três mil confirmações. Como é que esse vídeo viralizou, então, tão rapidamente?”

A resposta no site da Raquel.

Veja o canal do projeto no YouTube.

Levantamento da Reuters mostra que Brasil é o país onde mais se consome notícia via redes sociais

Link

Via Meio & Mensagem:

O levantamento Digital News Report, divulgado anualmente pela Reuters comparando o consumo de conteúdo em doze países, mostra que o Brasil é o país onde mais se consome notícia via redes sociais. O percentual é feito com base no total de usuários da internet, cerca de 54% da população, o equivalente a 108 milhões de pessoas. Do montante de usuários, 70% se informam via redes sociais, aproximadamente 47% das notícias são compartilhadas via redes sociais e 44% delas são comentadas nesses ambientes. Na conclusão do relatório, o brasileiro é o que mais consome notícia online, cerca de 72% dos usuários da internet. A principal fonte de notícia no Brasil já é a internet, usada por 44% dos usuários, seguida por televisão com 43%, as redes sociais são usadas como fonte única por 10% dos usuários, o impresso representa 4%.

O relatório destaca também os portais mais acessados (g1 lidera) e o maior consumo de conteúdo em vídeo.

Leia o conteúdo completo no site do Meio & Mensagem.

Se preferir, baixe o relatório completo.

Vote nas enquetes:

Qual sua rede social preferida?

  • Twitter (59%, 13 Votos)
  • Facebook (23%, 5 Votos)
  • Instagram (14%, 3 Votos)
  • Outra (5%, 1 Votos)
  • LinkedIn (0%, 0 Votos)

Total de votos: 22

Carregando ... Carregando ...

Você paga para acessar sites de notícias?

Veja resultados

Carregando ... Carregando ...

Você já trabalhou em um espaço de coworking com outros produtores de conteúdo?

Veja resultados

Carregando ... Carregando ...

Com que frequência você lê jornais e revistas no formato impresso?

Veja resultados

Carregando ... Carregando ...

7 cuidados básicos quando o assunto é conteúdo digital (2)

Padrão

Escrever e editar na plataforma digital não foge muito do que se aprende na faculdade de jornalismo. De diferente mesmo é que a distribuição do conteúdo também passa pelas mãos do jornalista. Ainda assim, entre os muitos cuidados que se deve ter ao publicar ou distribuir um conteúdo de site ou blog, considero sete deles como básicos e que precisam ser sempre observados e, se possível, jamais esquecidos. Publicarei os sete em sete posts diferentes até para facilitar a discussão sobre cada um deles. O segundo tópico da série é Publicação de vídeos.

Continue lendo