“Foi no Irã”: editou mal e leitor não clicou para ler

Padrão


Por ALEXANDRE GONÇALVES

Quando digo que leitor de internet não lê… Mais um exemplo para eu colocar nas minhas palestras, agora vindo de um tweet de O Globo.

O apressadinho do leitor já foi tirando conclusão ao ver o tweet e detonando a turma do Rio de Janeiro. Poderia ter clicado e lido o texto completo antes de dar seu “parecer” sobre o assunto. Está errado ele? Sim, mas…

 

…a chamada de O Globo não está clara. Falha num item importante quando se fala em edição para internet que é a localização. Sendo o jornal do Rio de Janeiro e tendo um histórico de explosão de bueiros, o nosso amigo @0840mf juntou 1 + 1 e tirou sua conclusão.

A chamada está acompanhada por uma imagem, mas que não deixa clara a localização, mesmo com um texto em persa, ao que parece. Responder depois que “foi no Irã” dá uma “satisfação” seca ao leitor que não clicou e não leu, mas não livra O Globo da falha.

Não foi por falta de caracteres (lembra do “era muita informação”?). Era só colocar “no Irã” no fim da chamada e ainda sobrariam 45 caracteres.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *