Carta do editor

Padrão


Por ALEXANDRE GONÇALVES

Li hoje um texto que o jornalista Cesar Valente, meu professor na UFSC e meu primeiro chefe, publicou sobre o “caso” dele com O Estado, já extinto, mas que foi durante muitos anos o principal jornal de Santa Catarina.

No trecho em que fala sobre o período em que foi editor-chefe, entre 1987 e 1989, Cesar conta que uma da coisas que ele mais gostava de fazer era a coluna Do Editor. ”Uma pequena janela, aberta para os bastidores do jornal, onde eu conversava com os leitores, comentando sobre jornalismo e o dia-a-dia de O Estado”, escreve.

A menção me fez lembrar que foi por causa do Cesar que comecei a escrever “cartas do editor”.

Viajei no tempo e uma ficha caiu…

Foi em 1995 que assinei minha primeira “Do Editor”. Não lembro o mês, mas foi na edição da revista Empreendedor após a saída do Cesar. Ele me contratou em julho de 1994, como coordenador de produção. Virei chefe de redação e, depois que ele saiu, editor-chefe. E coube a mim tomar conta do espaço que o Cesar havia criado.

Infelizmente não guardei a edição com minha primeira carta, mas entre as muitas tarefas editoriais e administrativas, confesso também que era a parte mais divertida do trabalho.

As cartas publicadas pelo Cesar me ajudaram bastante a tocar a nova tarefa, encontrar o tom e um padrão a seguir, mas principalmente a desenvolver o gosto de contar bastidores, processos e resultados dos projetos que faço ou participo e a valorizar a equipe de trabalho.

Gosto porque gera uma proximidade entre quem faz e quem consome, dá visibilidade e maior valor para o produto/serviço e, o que é mais importante, humaniza o trabalho, revelando conquistas, mas também erros e perrengues.

Foi assim anos depois quando estive no Grupo RIC (hoje ND) e criei um blog chamado Cá Entre Nós para compartilhar as novidades da plataforma de internet que estava gerenciando na época com o portal RIC Mais e o site do jornal Notícias do Dia.

E é assim aqui no Primeiro Digital quando escrevo sobre os projetos que gerencio e resultados do que faço, além das conversas que tenha com outros colegas. Ou seja, continuo publicando cartas Do Editor e nem tinha percebido…

Obrigado, Cesar, também por me lembrar disso.

Leia o texto O meu “caso” com o jornal O Estado.


A foto em destaque

A foto deste post é do fotógrafo Lauro Maeda e ilustrou a carta do editor escrita pela Cesar Valente na revista Empreendedor em que ele contava e comentava sobre a ida do jovem Alexandre Gonçalves, aos 22 anos, para a Alemanha cobrir a edição de 1995 da Feira Industrial de Hannover em abril daquele ano. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *