Pelo jornalismo digital…

Padrão

Curioso o que fez a Folha de S.Paulo durante o fim de semana da votação do impeachment na Câmara dos Deputados. Em vez de abrir seu conteúdo, manteve o paywall e deixou o acesso liberado apenas para assinantes. Não era um momento de exceção? Não costuma ser uma estratégia comum entre veículos que fecharam o acesso ao conteúdo? Bati na porta da Folha algumas vezes no fim de semana por conta disso (e você?).

Diferentemente da Folha, a Agência Estado, do Grupo Estado, liberou o acesso ao Broadcast Político, seu produto premium, durante todo o final de semana para que os leitores acompanhasse a cobertura da votação. Boa iniciativa.

Ainda sobre a cobertura, destaque para o conteúdo do Nexo, que está se consolidando como uma ótima opção para quem busca informação aprofundada e muito bem apresentada. Boas análises e abordagens diferenciadas, assim como o site do El País Brasil, outra “ilha” no meio digital na cobertura do momento político caótico brasileiro.

E a votação do impeachment serviu de oportunidade também para o lançamento do site Os Divergentes. Trata-se de uma iniciativa de um grupo de profissionais tarimbados na cobertura política de Brasília, que estavam no Fato Online até a crise de gestão que detonou o site. No vídeo abaixo, os jornalistas de Os Divergentes explica o projeto.

Por fim, destaque para o trabalho das agências de checagem de informação. Lupa e Aos Fatos produziram informações que ajudaram a tratar o panorama do que vivemos no fim de semana. E checar informações nunca foi tão importante como agora, como mostra a reportagem da BCC que diz que na semana da votação do impeachment 3 das 5 notícias mais compartilhadas no Facebook era falsas.

Acompanhe o trabalho da Lupa e do Aos Fatos pelo Twitter.