Farol Reportagem completa seu primeiro ano

Padrão

O Farol Reportagem, iniciativa digital do jornalista Lúcio Lambranho, focada em reportagens com base em dados públicos de Santa Catarina, completa seu primeiro ano nesta quinta-feira (22). A pedido do Primeiro Digital, Lambranho escreveu um texto em que compartilha um pouco da experiência à frente do Farol, das dificuldades e desafios aos momentos de satisfação desde o seu lançamento.

Confira.

farol reportagem

Desafio profissional com Farol Reportagem

O primeiro ano do Farol Reportagem foi aquele de maior aprendizado da minha carreira desde que fui repórter pela primeira vez no Universidade Aberta, programa de rádio do curso de Jornalismo da UFSC em 1995. Não lembro também de nenhum outro momento de tantos desafios. É mais fácil equilibrar a vida pessoal quando se tem um contrato de trabalho ou um emprego.

E ainda longe de ser um empreendedor na área, dividir o tempo entre o site e trabalhos de freelancer foi o primeiro desafio. É um processo de cobertor muito curto. Decidi focar no editorial no site. Foi um momento de afirmação do mesmo trabalho já realizado em outros veículos, mas agora em um meio independente. É delicado e, como não há nenhuma estrutura, é necessário ser preciso e não errar neste momento.

Foco no editorial

Enquanto tento aprender como tornar o site viável, tento dedicar mais tempo ao Farol Reportagem apenas na medida em que dependa menos de outros trabalhos para me manter. De qualquer maneira o objetivo vai continuar o mesmo: caminhar na direção de pautas investigativas próprias.

Consolidar o editorial em um nível que não precise ficar restrito a investigações oficiais. Talvez a aposta seja de ter mais qualidade antes de pensar em como ter mais assinantes de maneira mais rápida em um site de conteúdo aberto. Os assinantes são justamente aqueles que acreditam de verdade no trabalho, pois compartilham a informação com todo o público e ajudam por enquanto a pagar os custos da operação.

Perspectivas, incertezas e números

Se a ideia vai ter força para seguir em frente, mais recursos para que seja possível montar sua equipe e ser sustentável, ainda não é possível precisar. Assim como o espaço que o mercado tem ou terá para iniciativas semelhantes em Santa Catarina.

O Farol começou sem que essa certeza existisse e não deve acabar mesmo que seus recursos continuem sendo limitados. Podem acreditar, mas mesmo assim é possível.

Alguns indicativos do site ajudam a pensar sobre a questão: o Farol teve em um ano mais de 76 mil visitantes únicos e 100 mil visualizações. No Facebook, algumas reportagens atingiram mais 30 mil pessoas e formadores de opinião na região.

São números modestos, mas que podem inspirar, principalmente considerando que o Farol ainda não tem periodicidade definida. Os leitores e especialmente o público local estão acostumados e condicionados com outro ritmo informativo. Determinado apenas pelo o que aconteceu e não pelo que o foi descoberto, apurado e checado ou tem como base um documento inconteste.

O site publica reportagens somente quando estão “maduras” e apuradas com o máximo de rigor e precisão jornalística. O que poderia ser um problema, por falta de estrutura e equipe, se traduz no seu diferencial: reportagens exclusivas, relevantes para a comunidade e de grande interesse público. Muitos leitores acabam lendo as reportagens até mesmo muito tempo depois de publicadas, pois contém informações novas e que não ficam velhas rápido como as notícias.

Formação do público

É preciso, portanto, pensar na formação de público, dentro das possibilidades de cada veículo, mas encontrando uma nova maneira de deixar as pessoas mais bem informadas e em assuntos realmente relevantes para as comunidades. Esse é um desafio enorme e talvez anterior a tentar determinar um modelo de negócio ou formas de financiamento de canais como o Farol.

Reportagens do site já foram citadas pelos veículos regionais. O Farol produziu material nunca antes realizado com alunos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) durante as eleições de 2016. Outras provas da relevância do conteúdo.

Mais do que números e métricas, 25 reportagens foram produzidas em doze meses (incluindo suas suítes e novas reportagens sobre os mesmos temas), mais um sinal de que é possível fazer Jornalismo em Santa Catarina.

Acesse o Farol Reportagem (confira o conteúdo e também como contribuir para a manutenção do projeto): www.farolreportagem.com.br

Você tem alguma informação ou comentário para acrescentar a este conteúdo?