Em menos de um ano, Terra muda foco e adota novo modelo

Padrão

No dia 12 de agosto de 2014, estava em São Paulo, no terceiro módulo do Master em Jornalismo Digital do IICS. Naquele dia, uma das atividades do curso foi uma visita à redação do portal Terra, que nesta quinta-feira (6) anunciou uma reestruturação que incluiu o fechamento de sucursais e a demissão de 80% da equipe de conteúdo – sobraram oito, como explica o CEO Paulo Castro em entrevista ao Portal Imprensa.

Terra reestrutura negócio com corte de 80% da redação e fechamento de sucursais

Na visita ao Terra um ano atrás, lembro de ter ficado meio assustado, meio impressionado com a estrutura – grande e complexa para dar conta de produtos como a TV Terra. A conta não deve fechar, pensei.

Curioso que o portal estava em evidência na época por causa das mudanças na edição da home com a adoção de uma nova abordagem, que vinculava a exibição das chamadas de acordo com as preferências do visitante. A discussão era se esta não seria uma decisão radical, de matar a capa como sempre conhecemos, para deixá-la mais automatizada, mas buscando a personalização.

Nossa visita ao Terra foi guiada pela então diretor de conteúdo Hélio Gomes. “Então” porque Gomes deixou o Terra na segunda-feira (3). Na foto abaixo, que publiquei no meu Instagram, deu a letra de algo que aparece na reportagem do Terra sobre a reestruturação: a curadoria de conteúdo. “Capistas viraram curadores”, disse Gomes.

A frase foi a legenda da foto abaixo que publiquei nas minhas redes sociais.

10557466_10152221061721345_7813546884876323096_n

Na palestra que fez para nossa turma, Hélio Gomes deu detalhes sobre a operação do portal com as mudanças e com os investimentos que estavam sendo feitos principalmente na área de vídeos. Também apontou itens interessantes da gestão comercial do Terra.

Tinha tudo para funcionar 100%. No entanto, na mesma época da visita, foi anunciado um “passaralho” no portal que esfaleceu, por exemplo, a redação em Porto Alegre, ponto de partida da operação de conteúdo do braço digital da Telefônica no Brasil.

Difícil precisar as causas para mudanças tão radicais em uma empresa do tamanho do Terra. O próprio CEO Paulo Castro não culpa a “crise”. Se é uma decisão baseada em estudos de tendências, vamos lá. Mas eu prefiro ficar com a hipótese levantada pela pesquisadora Ana Brambilla, que escreveu em seu Facebook:

Hoje foi o Terra, mas a verdade é que o modelo portal agoniza há tempo. Com o Ignacio Santolin, comparamos os principais sites de conteúdo com adivinha-quem… Não é um gráfico de acessos. É gráfico de tendência de buscas, pelo Google. Ou seja, um retrato do interesse do público. Alguma dúvida de que o futuro do jornalismo esteja nos microrrelatos publicados nas redes sociais?

Veja também:

O modelo dos portais se esgotou?

Vote na enquete:

Você considera o modelo de portal esgotado?

Veja resultados

Carregando ... Carregando ...

Você tem alguma informação ou comentário para acrescentar a este conteúdo?

Deixe uma resposta