Microjornalismo sob demanda, por Ana Brambilla

Link

(…)

O que entendo por demanda é uma pergunta, um pedido por uma informação àqueles que estão diretamente capacitados a respondê-la. Não precisa ser teu amigo, teu contato no Facebook. Mas é fundamental que tenha uma relação muito próxima com o fato que o legitime enquanto cidadão repórter (ou village reporter, esse conceito já é velho).

Se você imagina que essa relação com o fato é espaço-temporal, está no caminho, mas não termina por aí. Estar imbricado a uma situação é mais do que presenciá-la como testemunha. É mais que estar no local, geograficamente, na hora de um fato X. Essa espécie de “repórter sob demanda” é o sujeito expert pela própria natureza – ou pelo próprio cotidiano.

Pergunte-se: sobre o que você saberia informar?

(…)

Na ambição de atingir todo mundo, não passamos de paisagem no olhar cada vez mais desacreditado da população em relação ao jornalismo. Nos afastamos do público sob a falsa sensação de estarmos falando para ele, aquilo que ele mais necessita saber. Então pergunto: ele quem, coleguinha?

Leia o artigo completo de Ana Brambilla.

one-1517550-1280x960

Leia também:

Você sabe o que o leitor quer?

 

 

 

Deixe uma resposta