Mapa Mental 🤔 #5

Padrão

Sonegação de informação

No dia 12 de março, o Procon de São José, na Grande Florianópolis, autuou duas agências bancárias por demora no atendimento. A rádio CBN-Diário deu a notícia, entrevistou o diretor do órgão e em todas as  plataformas falhou em não revelar a informação essencial no fato: quais agências foram autuadas? De qual banco?

Como moro em São José e uso eventualmente os serviços bancários, fiquei curioso até para saber quem presta um mau atendimento e evitar numa próxima vez. Pelo Twitter, mandei mensagem para a rádio perguntando pelos nomes, ou melhor, pela informação completa. E nada. O fato principal está na manchete, mas o texto (na rádio e no site) foca em dar dicas para o consumidor reclamar no Procon quando houver demora nos bancos.

Chega disso

É um desserviço evitar a menção de marcas em notícias como essa dos bancos. E tem outro erro no tratamento dado ao assunto. No site, a CBN-Diário usou uma foto de arquivo, sem legenda, de um agência que pode ser identificada como sendo do Banco do Brasil. Então uma agência BB foi autuada? Não se sabe.

O que pode ocorrer nesse caso, é o próprio público conseguir a informação sonegada e revelá-la de forma completa na própria rede social da emissora. Algo que arranha a imagem, coloca em xeque a própria credibilidade e abre brecha para todo tipo de comentário questionando a qualidade do veículo.

Fyre Festival e o marketing digital

Se ainda não viu, assista no Netflix ao documentário Fyre Festival: Fiasco no Caribe. Indicado para quem está no segmento de marketing digital.

O festival de música, que nunca existiu, é fruto de uma fraude financeira. Mas chama atenção como os organizadores criaram o hype a partir do uso de estratégias de marketing digital e apoiados na contratação de modelos e influencers como iscas para público e investidores.

A falcatrua do super e exclusivo festival numa ilha paradisíaca do Caribe começou a ser revelada quando a agencia contratada começou a cobrar imagens e informações sobre os preparativos (montagem de palco, hospedagem, serviços de bares e restaurantes, opções de transporte…), que nunca foram enviadas. E desandou de vez quando os influenciadores digitais convidados chegaram à ilha e encontraram o caos. E com ajuda das postagens deles, a fraude foi descoberta.

Assista ao trailer.

Reconhecimento

O Pirão d’Água publicou uma ampla reportagem sobre o Rifferama, do jornalista Daniel Silva, em que é ressaltada mais uma vez a grande característica do blog, na minha opinião: ser um canal digital com propósito, no caso a promoção da música de Santa Catarina. Leitura recomenda.

Overdose

O Twitter está com uma campanha de divulgação intensa em São Paulo, com outdoors colocados em pontos estratégicos como estações de metrô, conforme registro da jornalista Luciana Moherdaui. Compartilhei a imagem junto com o link do post do Primeiro Digital que identifica uma nova onda do Twitter. E acredito que seja isso mesmo. E o outdoor (indoor, na verdade) reforça isso com o Veja o que está acontecendo.

Mas ao mesmo tempo, o Twitter está em alta também no embalo do mau uso, dos conteúdos mentirosos, das fake news, das fotos-montagem, das arrobas robôs (desconfie dos perfis com sequência de números). Tem gente que se esforça no combate para deixar a rede mais “saudável”. A dúvida é até quando os usuários que valorizam o bom uso do Twitter vão aguentar. Tem hora que cansa, e muito, desviar de tanto lixo.

@ da vez

Para quer boas dicas gastronômicas em Florianópolis, recomendo conferir os rolês da @renatadiem no Instagram.

Mapa Mental é a coluna de notas e insights do Primeiro Digital. Sempre às terças, uma nova edição.

Todas as colunas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.