Mapa Mental 🤔 #33 | Cauda longa a serviço da desinformação

Padrão

por ALEXANDRE GONÇALVES

Nesta edição do Mapa Mental:

РCauda longa a servi̤o da desinforma̤̣o
– Olha o Fakebook aí…
РUOL lan̤a podcast com demitidos da ESPN
– A disparada dos podcasts
– Reflexos dos novos hábitos de consumo de informação


Cauda longa a serviço da desinformação

Circulou nas redes sociais uma foto mostrando um local dentro do Rock in Rio tomado por lixo. As postagens na grande maioria eram de críticas não necessariamente ao lixo, mas ao fato do festival (e artistas) fazerem campanha de “Salvem a Amazônia”.

Quem compartilhou, certamente tem lado – e não é o dos ambientalistas, mas sim de aliados das ideias e atitudes do governo em relação à questões ambientais. E usaram a imagem para criticar quem é crítico com a “política ambiental” adotada até aqui.

Veja um exemplo (e outros tweets para a busca “lixo Rock in Rio”).

Como distorcer e tirar do contexto já é padrão nas redes sociais, como destaquei no post Meme é meme, fake news é fake news. E no caso desta foto do Rock in Rio, não é diferente, como atestou a Agência Lupa, uma das pioneiras na checagem de fatos no Brasil.

A foto em questão não é da edição deste ano do festival, mas sim do Rock in Rio de 2013. E a Lupa conta que essa mesma imagem com a Cidade do Rock emporcalhada já havia circulado nas redes em 2017. Outros fotos com lixo de outras edições também foram postadas como sendo da edição deste ano, como verificado pela agência, com legendas seguindo a mesma lógica de ataque.

Fotos antigas voltarem a circular como se fosse recentes não é novidade e não é motivo para espanto. É o efeito “cauda longa” que a internet proporciona. O problema é antes, na maioria das vezes, esse compartilhamento ocorria mais por desatenção, desconhecimento. ou desejo de informar, mobilizar e mostrar indignação sincera. Agora não. A foto velha volta com segundas intenções e alimentar a turma que não está nem aí para a veracidade dos fatos. Só querem rosnar.

Vão dizer que todo mundo sabe que é a foto não é desse ano?

O lixo do Reveillon em Jurerê

Como exemplo do efeito “cauda longa” a serviço da desinformação, lembro do caso do lixo na praia de Jurerê Internacional, em Florianópolis. Registrei em post no meu blog Coluna Extra, publicado originalmente em janeiro de 2011 e atualizado em janeiro de 2014.

Janeiro de 2011. Está circulando no Facebook, no Twitter, em blogs e também por e-mail, uma foto mostra a praia de Jurerê Internacional transformada num lixão também na manhã seguinte à virada do ano. A foto é de Cristiane Martin, que publicou a foto em seu Facebook.

Janeiro de 2014. A foto de 2011 tirada pela Cristiane, voltou a aparecer no Facebook com a informação – errada – de que foi tirada em janeiro de 2014. Foi postada pelo perfil Paraíso Massagem (?).

#ArquivoPrimeiroDigital

Outro exemplo de foto antiga que volta a circular e “causar”, registrei no post Rede social provoca rachaduras?

Leia aqui.

Olha o Fakebook aí…

O clima anda quente no Twitter e a gente até esquece do Facebook e sua fama de rede social pouco confiável (explica esse algoritmo aí…) e sua contribuição para a propagação de notícias falsas. Um estudo da Oxford University refresca a nossa memória.

O Facebook, segundo o estudo, permanece sendo a rede sociais mais danosa do que Twitter, Instagram ou qualquer outra plataforma de mídias sociais quando se fala do compartilhamento de fake news, como informa o B9.

Tanto é que o número de países que começaram campanhas de desinformação aumentou de 28 para 48 entre 2017 e 2018. Em 2019, o número chegou a 70.Oxford afirma ainda que o Facebook é a rede preferida para quem pretende manipular os usuários.

UOL lança podcast com demitidos da ESPN

Estreou na última segunda-feira (30) o Posse de Bola, um podcast que reúne pesos pesados da crônica esportiva para uma conversa que analisa e projeta o futebol brasileiro.

Participam do podcast os comentaristas Juca Kfouri, Eduardo Tironi e Arnaldo Ribeiro, três ex-ESPN, recentemente demitidos pelo canal da Disney. Com eles, Mauro Cesar Pereira, (canais ESPN, UOL, Rádio Bandeirantes, Estadão e Gazeta do Povo.

O podcast mostra o senso de oportunidade do UOL ao reunir profissionais que têm público cativo e são referência na área, muito por causa do Linha de Passe da ESPN.

Posse de Bola vai ao ar toda as segundas. A gravação pode ser acompanhada em vídeo pelas redes sociais do UOL Esporte às 9h, e o podcast, editado, fica disponível a partir do meio-dia.

Ouça o primeiro episódio.

A disparada dos podcasts

Celular na mão e conteúdo no ouvido. Assim começa a reportagem que o Jornal da Band exibiu no último sábado (28) que trata da “disparada dos podcasts” no Brasil que têm atraído cada vez mais ouvintes.

A reportagem conversa com produtores independentes (“caseiros”) e também as criadoras do Mamilos e o criador do B9, além de destacar os podcasts do Grupo Bandeirantes.

Assista.

Reflexos dos novos hábitos de consumo de informação

Na segunda-feira (30), Dia do Jornalismo, o site hiperlocal Floripa Centro produziu uma reportagem que revela a realidade nestes tempos de consumo online de notícias: o fechamento de bancas de revistas na região central de Florianópolis.

Bancas antigas fecharam e bancas antigas permanecem abertas, dando o seu jeito: oferecendo outros produtos que não jornais e revistas, como apostilas de concursos, palavras-cruzadas e revistas de receitas.

Leia a reportagem do Floripa Centro.

Mapa Mental é a coluna de notas e insights do Primeiro Digital. Sempre às terças uma nova edição.

Todas as colunas.


Receba as atualizações por e-mail. Saiba como.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *