Mapa Mental 🤔 #27 | Era de ouro do podcast em números

Padrão

por ALEXANDRE GONÇALVES

Nesta edição do Mapa Mental:

Era de ouro do podcast em números
– Tem podcast novo na cozinha
Excelsior: Dos quadrinhos pro podcast
– Os usuários é que fazem as redes sociais
– O melhor “Isso é muito Black mirror”
– A melhor análise sobre as demissões na ESPN Brasil
Jornalistas no inbound marketing
#ArquivoPrimeiroDigital

Era de ouro do podcast em números

Dados de pesquisa da agência Volt Data Lab, com base em informações obtidas no site Pocket Casts, um grande agregador mundial de podcasts, confirma que, sim, vivemos a era de ouro do podcast no Brasil.

De acordo com a pesquisa, a produção disparou no Brasil na última década e meia. Em 2018, com a produção dos 100 principais podcasts brasileiros crescendo 200 vezes desde 2005 e chegando a mais de 3.400 episódios publicados. Em comparação, diz a agência volt Data lab, os 100 principais podcasts nos Estados Unidos produziram cerca de 5.800 episódios no mesmo ano.

Em média, desde 2010, foram produzidos no Brasil 1.522 episódios por ano, chegando ao máximo de 3.380. A pesquisa traz dados também sobre a duração média dos episódios de podcasts:

“Em geral, os principais podcasts nacionais analisados são 43% mais longos do que os internacionais. O podcast mediano do Brasil tem em torno de 66 minutos (média 65,7 minutos), ao passo que o norte-americano tem 46 minutos (média 51,9 minutos).”

Confira os dados completos.

Tem podcast novo na cozinha

Saiu do forno oficialmente o Pod na Cozinha, o podcast do site Cozinha a Dois, editado pelos amigos Soninha Vill e Gastão Cassel. A novidade está dentro do pacote que incluiu novo layout, novas seções e novos colunistas e com conteúdo destacando receitas, mas também questões como sustentabilidade e agroecologia.

O propósito do Pod na Cozinha será este. Não será um podcast de receitas, mas de conversa à mesa sobre diferentes aspectos relacionados à gastronomia, como fica evidente no episódio de estreia que trata da produção de pães artesanais.

Ouça.

Visite o Cozinha a Dois.

Excelsior: Dos quadrinhos pro podcast

Em Vingadores: Ultimato, os heróis da Marvel viajam no tempo para recuperar as Jóias do Infinito para concretizar o plano de desfazer o estalo de Thanos que “eliminou” metade da população. E parece que a Marvel também está voltando no tempo, nos tempos das radionovelas, para levar histórias em quadrinhos para o formato de podcast.

De acordo com o B9, a Marvel já mantém um acordo com a Stitcher Premium, plataforma para produção de conteúdo em áudio, o que gerou minisséries estreladas pelo Wolverine (ouça aqui). Agora a empresa fará a adaptação da minissérie “Marvels”, uma das preferidas de muitos fãs da Marvel, escrita por Kurt Busiek e ilustrada por Alex Ross.

(Excelsior)

Os usuários é que fazem as redes sociais

Lembro de quando o Twitter apareceu e a timeline era tomada por tweets compartilhando fatos do dia a dia. “Hora do banho”, “Almoço especial”… Tudo mudou quando um avião pousou no Rio Hudson em Nova York e a primeira imagem apareceu no perfil de um usuário do Twitter. Era a virada da chave: saiu “O que você está fazendo” para “O que está acontecendo”.

Agora, nos protestos que os jovens estão promovendo em Hong Kong desde junho, contra  o projeto extradição, redes sociais marcam presença mais uma vez, assim como foi na Primavera Árabe e outros. Mas no caso de Hong Kong, chama a atenção o uso que os manifestantes estão dando para o Tinder, por exemplo, como ferramenta de mobilização. Eles para compartilhar informações sobre a presença da polícia nas proximidades dos protestos que são convocados de modo curioso também: “Vamos caçar Pokémons”.

O exemplo dos manifestantes de Hong Kong responde uma pergunta que fiz aqui no Primeiro Digital em 2016: Ainda dá para criar novos usos para redes sociais? Não estava muito otimista na época. Leia aqui.

O melhor “Isso é muito Black mirror”

Entenda o caso.

A melhor análise sobre as demissões na ESPN Brasil

“As redes sociais deram voz e poder de participação aos espectadores que precisam refletir sobre o seu papel na construção da mídia e, consequentemente, do nosso futebol que é praticamente o tema único no jornalismo esportivo”.

A  observação extremamente oportuna do jornalista André Rocha em texto publicado em seu blog no UOL a respeito das demissões ocorridas na ESPN Brasil. Rocha cita a repercussão nas redes sociais da demissão do jovem comentarista Rafael Oliveira, que teve seu nome nos Trending Topics do Twitter.

Jornalistas no inbound marketing

A migração de jornalista para o mercado de inbound marketing é tema de um ótimo post produzido pela jornalista Merlim Malacoski , publicado no blog da agência Vocali, aqui de Florianópolis. A Merlim mostra como a formação e a experiência do profissional do jornalismo pode ser útil no momento em que passa a produzir conteúdo de inbound marketing.

O texto trata dos seguintes tópicos:

Expertise de traduzir conteúdos de diferentes áreas em uma linguagem objetiva

Uso de técnicas de pesquisa e apuração

Técnicas de entrevista para definir personas

Adaptação das perguntas do lide para a jornada do cliente

Leia o texto completo no blog da Vocali.

#ArquivoPrimeiroDigital

Sobre jornalistas no inbound marketing e marketing digital, confira as entrevistas da série #Migrei aqui do Primeiro Digital:

#Migrei: “Me sinto muito mais à vontade no marketing digital do que em redação”

#Migrei: “Me preparei ao buscar formação e ao acompanhar a migração de colegas para o digital”

#Migrei: “Foi uma decisão pensada já que queria começar a trilhar meu caminho no marketing digital”

Ainda sobre o assunto, leia o post Um mercado para jornalistas, mas vamos com calma e assista ao vídeo Uma reflexão sobre o que é ser jornalista nos dias de hoje,

Mapa Mental é a coluna de notas e insights do Primeiro Digital. Sempre às terças uma nova edição.

Todas as colunas.


Receba as atualizações por e-mail. Saiba como.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *