Mapa Mental 🤔 #26 | Confusão editorial pode comprometer viabilidade comercial

Padrão

por ALEXANDRE GONÇALVES

Nesta edição do Mapa Mental:

Confusão editorial pode comprometer viabilidade comercial
– Clique no link na bio
Brasileiros no Twitter: Quantidade não quer dizer qualidade
Como nasce um podcast
Apagão no Google
– E por falar em Google…
– #ArquivoPrimeiroDigital

Confusão editorial pode comprometer viabilidade comercial

Fico contente quando descubro projetos que apresentam uma proposta editorial clara, bem definira e que passam longe de ser um “catadão da internet”. Há convicção na proposta. Por isso tenho gostado do que vem fazendo o jornalista Billy Culleton no Floripa Centro, que cobre apenas a região Centro de Florianópolis com notícias e reportagens especiais.

Penso assim porque não tem coisa pior que seguir um site e ser surpreendido por notícias que fogem da linha editorial e que são publicadas porque o assunto está “bombando” na internet ou é preciso cobrir a conta de postagens. Considero um erro dos grandes “embaralhar as fichas” no site e nas redes sociais de sites locais, por exemplo, com assuntos de outros bairros, cidades e estados, sem relevância que justifique ser publicada. Ou mesmo apostar em bobagens que dizem pouco para leitores que compraram outro peixe.

Não valorizar o foco prejudica a construção de vínculo com leitores e o engajamento para levar o site adiante como referência e com audiência para atrair patrocinadores. Até porque as iniciativas de menor escala, mesmo com todo o potencial que o professor Rámon Salaverría já apontou, já têm uma dificuldade natural de viabilidade comercial como todo projeto digital. Não precisa de uma confusão editorial para atrapalhar e comprometer sua existência.

Clique no link na bio

Convidar o seguidor para conferir e clicar no “link na bio” é praxe nas publicações feitas no feed do Instagram (ou Instagram by Facebook…) e ajudam a superar a “falha” da rede social de não gerar links externos – opção só permita nos Stories de contas verificadas e com 10 mil seguidores.

Na carona da prática “link na bio” surgiram serviços como o Linktr.ee e o Linkto.bio para agilizar a divulgação de links sem a necessidade de editar o endereço no perfil a cada novo post.

Usar esses serviços – todos muito semelhantes no conceito de “árvore de links – tem como vantagem, em vez da URL do site ou blog, por exemplo, a possibilidade de compartilhar links de modo não-sequencial. Ou seja, pode-se explorar oportunidades compartilhando links mais antigos e não apenas os mais recentes.

Adotei o Linktr.ee no Intagram do Primeiro Digital. Mas na última semana surgiu um bug na integração do serviço com o Instagram e eu lembrei do que sempre falo aqui e nas palestras que ministro: quanto menos depender de plataformas de terceiros, melhor. Foi daí que surgiu a ideia de criar uma página de “árvore de links” própria dentro do Primeiro Digital, seguindo a mesma lógica de organização do Linktr.ee e outros serviços do tipo.

Como vantagem adicional, o seguidor agora é convidado já para entrar no blog e não num site de terceiro – o que pode ser um movimento interessante e benéfico para o melhor ranqueamento no Google, ajudando na fidelidade e na profundidade da navegação, além do alcance (não por acaso, a página www.primeirodigital.com.br/linknabio está entre as mais acessadas da última semana).

Por tudo isso, recomendo não só o modelo link na bio, mas também o uso de uma “árvore’ própria de links. Pelo menos até não entrar para o time do “arrasta pra cima” do Instagram.

Brasileiros no Twitter: Quantidade não quer dizer qualidade

Um estudo do site de cupons Cuponation, realizado em julho deste ano, coloca o Brasil em sexto lugar no ranking dos dez países com mais usuários ativos no Twitter. No total, são 8,28 milhões, deixando o país atrás dos Estados Unidos (48,65 milhões), Japão (36,7 milhões), Reino Unido (14,1 milhões), Arábia Saudita (9,9 milhões) e Turquia (8.6 milhões).

Uns meses atrás, ficaria contente com a notícia por sempre defender o Twitter como uma plataforma relevante. Dizia que nas redes sociais era Twitter + 1. Mas está cada vez mais difícil circular por lá, como já registrei no Primeiro Digital. Virou realmente um ambiente tóxico, mais até que o Facebook foi, por causa da guerra das hashtags somada à estupidez de boa parte dos usuários e seus ataques sem noção e sem limites. Nem os representantes divinos no plano terreno serão poupados no Twitter.

Como nasce um podcast

“A ideia do podcast veio da necessidade de falar sobre o tema [saúde mental]. Eu convivo com ansiedade e depressão desde minha infância. Fui diagnosticada aos 16 mas, com 5 anos já sentia o coração disparar tanto que minha mãe me levava em cardiologistas. Fiz eletrocardiograma. Evidentemente, não dava nada. Tenho 33 anos e sempre sonhei em abordar o tema. Triste pensar que nesse tempo todo ninguém pensou em falar a respeito da maneira que eu faço, mais leve, livre, sem glamour, quase que didático”.

O depoimento acima é de Amanda Ramalho, ex-Pânico na TV, e apresentadora/criadora do Esquizofrenoias, um dos podcasts mais comentados e elogiados nessa nova leva (aka nova onda ou era de ouro) de programas em áudio para internet. Ela conta em detalhes como tem sido a experiência em entrevista ao site Hypeness.

Confira onde ouvir no site www.esquizofrenoias.com.

Apagão no Google

Ficou sabendo que o Google sofreu um “apagão” na quinta-feira passada (8) e não indexou praticamente nenhuma nova página durante todo o dia? Meu amigo Bruno Volpato explicou o episódio na edição do Notícias da Semana do blog da Resultados Digitais. O post do Bruno, aliás, está em primeiro lugar (onde? onde? onde?) no Google para a busca por “apagão no google”.

E por falar no Google…

Escrever para o Google é um desafio, mas também motivo de satisfação. Ontem até brinquei com isso ao compartilhar no Instagram do Primeiro Digital o print da tela do Google para a busca por “estratégia de presença digital”. E o post publicado aqui em maio deste ano aparece em primeiro lugar.

#ArquivoPrimeiroDigital

Escrever para o Google: A satisfação de colocar um post em primeiro lugar na busca

Mapa Mental é a coluna de notas e insights do Primeiro Digital. Sempre às terças uma nova edição.

Todas as colunas.


Receba as atualizações por e-mail. Saiba como.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *