Mapa Mental 🤔 #16 | Em busca da credibilidade perdida; e mais

Padrão

por ALEXANDRE GONÇALVES

Nesta edição:

– Em busca da credibilidade perdida
– Boas notícias para o hiperlocal…
– …e para projetos inovadores
Menos tempo no Facebook
– Troca de papel
– Pensata sobre #Neymarprints
Vacilo e Shallow Now


Em busca de credibilidade perdida

“Existe uma séria crise de credibilidade afetando o jornalismo ao redor do mundo e essa crise não é nova.”

A afirmação é da jornalista americana Sally Lehrman, do Trust Project, em entrevista ao Nexo Jornal. Ela coordenou o trabalho de pesquisa que deu origem aos oito indicadores de credibilidade de notícias, lançados em 2017.

No total, 100 veículos são adotantes do projeto nos EUA, Europa e Brasil. Rebatizado de Projeto Credibilidade, por aqui, os primeiros veículos chancelados em maio foram Nexo, Agência Lupa, Agência Mural, Folha de S.Paulo, Poder360 e O Povo. O selo é dado para os veículos que adotam os três primeiros indicadores de credibilidade (melhores práticas, expertise de autor e tipo de matéria).

Descrédito e desafios

Na entrevista, Sally Lehrman responde. por exemplo, se o ambiente digital contribui para o descrédito no jornalismo. Para ela, a resposta é sim.

“Os veículos de notícias pareciam perdidos e desamparados no ambiente digital, tentando responder se estavam explorando ou sendo explorados pelas redes sociais…”, diz. “O jornalismo e as organizações estavam apenas deixando isso acontecer com elas, tentando responder a isso, mas não tomando um papel de liderança”, completa.

Por outro lado, Sally defende que vive-se um bom momento para o jornalismo. “Estamos enfrentando uma situação muito desafiadora e respondendo com criatividade, inovação e comprometimento”, afirma.

Leia a entrevista completa no Nexo Jornal.

Boas notícias para o hiperlocal…

Nos Estados Unidos, o Boston Globe é o primeiro jornal hiperlocal no país a atingir uma marca relevante: mais assinantes digitais que assinantes da versão impressa.

Nos três primeiros meses de 2019, o total de assinaturas digitais saltou de 107.902 para 112.241 a partir de 31 de março. A assinatura impressa, no entanto, registrou queda de 11% no mesmo período, caindo de  108.719 para 98.978, conforme artigos do Nieman Lab, publicado no Brasil pelo Poder360.

Números em alta

Já em Brusque (SC), o jornal O Município segue contabilizando recordes consecutivos de page views, como já havia sido registro no Mapa Mental 13. Desta vez, o site registrou 2,15 milhões de páginas visualizadas contra 1,64 milhão em abril. “Isso mostra que estamos no caminho correto. O jornal quer continuar cada vez mais falando de notícias regionais, com a melhor tecnologia e na melhor linguagem para chegar nas pessoas”, afirma Claudio José Schlindwein, diretor do jornal.

…e para projetos inovadores

World Digital Media Awards 2019:  JOTA vence prêmio de melhor startup de informação digital do mundo

O prêmio foi entregue domingo (2) em evento na Escócia. E para quem não conhece, o JOTA é um exemplo de modelo de negócio para projetos de jornalismo na internet. Além de se tornar referência na cobertura dos Poderes, em especial o Jurídico, tem um equilíbrio entre o conteúdo aberto e o conteúdo e serviços especiais para assinantes que ajudam na manutenção e na expansão.

Menos tempo no Facebook…

…mais tempo no Instagram.  É o que aponta um novo relatório divulgado pela empresa de pesquisa de mercado eMarketer. De acordo com os dados, o volume de engajamento de usuários no Facebook vem diminuindo gradativamente e a tendência é a sangria prosseguir nos próximos anos. Veja mais dados.

Troca de papel

E quando a agência digital lança uma revista impressa?

Entenda a estratégia da Rock Content (e, caso tenha algum resquício de sangue revisteiro nas veias, como eu, é capaz até de se animar a repensar no formato…)

@s e links

@CCastilho: Os quatro desafios para a sobrevivência do jornalismo local

@NeilPatel: Futuro do SEO: Como o Novo Layout do Google pode Influenciar

Pensata sobre #Neymarprints

Quando vira meme, a gravidade de um assunto sai de foco e fica em segundo plano?

Ou tudo bem rir, curtir e compartilhar o que é criado a partir de casos graves como o que envolve a divulgação de fotos e conversas privadas feita pelo Neymar?

Vacilo e Shallow now

A Polícia Civil do Rio de Janeiro batizou uma operação de Juntos e Shallow Now, pegando carona na repercussão da versão em português do sucesso de Lady Gaga gravada por Paula Fernandes e Luan Santana. Até aí tudo certo, nos conformes do padrão quase piadista com que as polícias batizam as operações.

Mas nada justifica usar fotos de Paula e Luan para ilustrar reportagens e chamadas em redes sociais como fez a Folha de S.Paulo. Erro ao vincular imagens sem ligação com o fato principal e, pior, associar os artistas a uma manchete policial que nada tem a ver com eles. Ficou feio.

Foi falta de noção ou malinagem, como se fiz em Florianópolis, para chamar atenção e gerar clique?

Mapa Mental é a coluna de notas e insights do Primeiro Digital. Sempre às terças, uma nova edição.

Todas as colunas.


Receba as atualizações por e-mail. Saiba como.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *