Mapa Mental 🤔 #11 | O novo Astro Rei do sistema solar dos jornais; e mais

Padrão

por ALEXANDRE GONÇALVES

Nesta edição:

– O novo Astro Rei do sistema solar dos jornais
Números dos jornais de Santa Catarina
РA culpa ̩ da internet?
– Quando o patrocinador banca tudo e vira mídia
– Rede Social: A armadilha da data comemorativa
– Já curte e segue a Lagartixa Diária?
– E tem mais sobre podcast
РA̵̤es para aumentar a audi̻ncia de forma qualificada


Novo sistema solar dos jornais

No rabisco do fim de semana, mostro duas versões do que chamo de sistema solar dos jornais.

Antes, como no desenho à esquerda, o jornal (venda e assinaturas) era o “astro rei”. E todo o resto, incluindo o clube de vantagens, fica girando ao redor.

O que significa?

Que houve um tempo em que o jornal por si só atraia público e era o principal gerador de receita com vendas em banca, assinaturas, classificados e anúncios impresso e online.

Agora, a julgar pelos movimentos dos jornais aqui de Florianópolis (Diário Catarinense e Notícias do Dia), temos uma tentativa de dar mais visibilidade para os chamados “clubes dos assinantes” e suas vantagens/benefícios como descontos na compra de ingressos para atrações culturais e de produtos e serviços.

Por essa lógica, o clube passa  a ser o Sol e o jornal é um produto que orbita ao redor como parte do pacote do assinante. O desafio é descobrir se o que é oferecido nos clubes tem força de atração suficiente para trazer mais assinantes.

Olhe ao redor

O jornalista Claiton Selistre compartilhou em sua coluna no Portal Making Of os números do Instituto Verificador de Comunicação (IVC) referentes aos primeiros dois meses de 2019 sobre a circulação de jornais, impressos e digitais em Santa Catarina. Selistre classificou os dados como “alarmantes”.

Digital – A Folha de S.Paulo lidera com 17.937 assinantes em fevereiro.

O Diário Catarinense aparece em segundo com 9.970 assinantes.

Logo depois aparece o Santa, de Blumenau, com 3.515, e o Notícias do Dia com 2.624 assinantes digitais.

Impresso – O Diário Catarinense tem a melhor média/dia de circulação, com 12.526 exemplares em fevereiro.

O Hora de Santa Catarina, baseado na troca de selos por brindes, é segundo colocado com 12.309.

O Santa ocupa a terceira posição com 5.508 exemplares, enquanto o Notícias do Dia somou 3.469 exemplares.

De quem é a culpa?

A decisão da Folha de S.Paulo de reduzir o número de colunas do jornalista Jânio de Freitas repercutiu nas redes sociais. Em vez de duas colunas por semana, agora o veterano analista das coisas do poder escreverá somente aos domingos e não mais às quintas.

Coincidentemente, zapeando no fim de semana parei no Canal Brasil e revi o ótimo Mercado de Notícias, do cineasta e roteirista Jorge Furtado. Jânio de Freitas é um dos entrevistados e lá pelas tantos, quando o assunto era o modelo de negócio e a situação mercadológica e financeira dos jornais, afirmou:

“A internet não tem nenhuma culpa do que está acontecendo com os jornais. A culpa é dos jornais”.

Concorda?

Aperta o play

O patrocinador banca tudo e é a mídia

Ainda sobre modelo de negócio e geração de receita, a observar dois exemplos.

O primeiro é o recém-lançado VEG Esportes, aqui de Florianópolis. Trata-se de uma iniciativa de um grupo empresarial que montou seu próprio produto de comunicação no meio digital para falar de futebol e com nomes de destaques da mídia esportiva, como já destacado no Mapa Mental.

Isto é, a verba que poderia ser direcionada para os veículos de comunicação é investida pela empresa num produto informativo próprio.

O segundo exemplo é da empresa criadora do e-commerce NetShoes, especializado em artigos e, de um tempo para cá, também em transmissão de eventos esportivos com a TV NSports. Sem jogos no SporTV e PFC, os jogos do Campeonato Catarinense foram trasmitidos com a estrutura da TV NSports.

As duas iniciativas pode inspirar os jornalistas empreendedores que podem desenvolver seus projetos e buscar um patrocinador interessado em associar sua marca a um produto inovador e de qualidade.

A armadilha da data comemorativa

Faz parte da rotina de quem trabalha com redes sociais o acompanhamento do calendário de datas comemorativas. É um recurso que pode ser usado até como forma de manter uma programação de conteúdo sem furos.

Mas tem o outro lado. O post pode soar falso, robotizado e cumpridor de tabela, especialmente quando é produzido pela assessoria e não pelo dono de verdade da conta.

No Dia do Livro aconteceu isso na conta do Twitter do governador de Santa Catarina, Carlos Moisés. A linguagem e a ação me pareceu totalmente fora de propósito levando em consideração a função e o foco do trabalho do governador. Se é para humanizar a comunicação, que seja com temas que possam fazer a diferença na vida das pessoas…humanas.

É um ação do social media para render e não um post do governador, que poderia aproveitar a data e anunciar investimentos na Biblioteca Pública do estado, com aumento do acervo ou recursos para restauração de outras importantes de autores catarinenses ou ainda um prêmio de literatura para novos escritórios.

Ou seja, algo mais relevante que uma bobagem de rede social.

Vai lá

Eu leio e compartilho.

Mais sobre podcasts

O colega jornalista Dauro Veras, ao comentar o post sobre a era de ouro dos podcasts, compartilhou cinco recomendações:

E ainda sobre podcasts, o pessoal do ArqSC, portal sobre Arquitetura comandado pela jornalista Simone Bobsin, avisa no Instagram do Primeiro Digital que também estão iniciando a produção de conteúdo em áudio. Dois episódios já estão disponíveis no site. Ouça aqui.

podcast arqsc

@ da vez

Além dos conteúdos de sua coluna na Folha, a jornalista @monicabergamo usa sua conta no Twitter também para uma rotina de curadoria de tweets de outros usuários (contas da Folha e outros veículos e de nomes da política nacional).

#ArquivoPrimeiroDigital

Conheça quatro ações para aumentar a audiência do site de forma qualificada:

Links relacionados
Página de buscas
Página de erro
Mensagem de participação

Remarcado

O aulão sobre mídias sociais com a consultora Liliane Ferrari em Florianópolis mudou de data. Em vez de 2, será dia 27 de maio. A mudança é decorrente das dificuldades de voos depois dos problemas enfrentados pela Avianca.

O local continua o mesmo, Cool2Work, no Acate Downtown, no Centro. Saiba mais sobre o aulão.

 

Mapa Mental é a coluna de notas e insights do Primeiro Digital. Sempre às terças, uma nova edição.

Todas as colunas.


Receba as atualizações por e-mail. Saiba como.


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *